Pular para o conteúdo principal

Mesa Brasil cadastra grupos vulneráveis para atender urgência de alimentos

Indígenas, quilombolas, ciganos, pessoas em situação de rua e catadores estão em risco de insegurança alimentar.Quase duas décadas de combate à fome fazem do Mesa Brasil Sesc um dos mais importantes programas solidários no Ceará.


42% dos cearenses vive com menos de R$ 420 por mês, de acordo com a Síntese de Indicadores Sociais de 2019, relatório anual do IBGE que analisa as condições de vida da população brasileira. O baixo poder de compra dessas pessoas e rendimento domiciliar per capita as inclui na classificação de pobreza, categoria compreendida pela ONU como um estado de privação.

A alimentação é um dos fatores mais limitados pela renda insuficiente, o que pode as colocar em situação de insegurança, não conseguindo acesso a comida em quantidade e qualidade necessárias. É para estas pessoas que o Programa Mesa Brasil Sesc atua incansavelmente há dezenove anos no intuito de apresentar uma resposta institucional no combate a forme e ao desperdício de alimentos.

Em meio a situações de calamidade, a escassez e vulnerabilidade se agravam, portanto, desde o início da pandemia em março, até 24 de abril, o Sesc arrecadou 316 mil quilos de alimentos (316 toneladas) e cadastrou instituições em caráter emergencial para que as doações chegassem aos grupos sociais mais suscetíveis à fome durante o isolamento social, como as populações tradicionais e pessoas em situação de rua.

O histórico de atuação desse programa é bem mais abrangente e já registra mais de 48 milhões de quilos destinados a população vulnerável no Estado, desde sua implementação. Todos os anos, a rede solidária que a instituição organiza faz chegar alimentos a mais de 280 mil cearenses, coletando doações de empresas e distribuindo para as 480 instituições sociais.

Presente em todo o País, o Mesa Brasil Sesc tem a meta de arrecadar cerca de 40 milhões de quilos anualmente, recebendo colaboração significativa do Ceará, um dos maiores bancos de alimentos do País. O Estado contribui com cerca de 7% do montante nacional, aproximadamente 3 milhões de quilos distribuídos todos os anos,com ampliação prevista para 5 milhões em 2020.

“O nosso banco de alimentos faz toda a diferença na rede do Sesc, é considerado um dos pioneiros, foi o terceiro a ser criado no Brasil e, desde então, nós nunca paramos de buscar doadores e de atender instituições do Estado ”, afirma Regina Miranda, gerente e uma das fundadoras do Mesa Brasil Ceará.

Em 2001, ano em que o banco de alimentos iniciou suas atividades no território cearense, 21% da população do Estado vivia com o equivalente a meio salário mínimo e o rendimento médio era de 334 reais (SIS/IBGE), inferior ao atual.

No contexto nacional, o índice de extrema pobreza chegava a 17,5% (IPEA), foi em meio a esse cenário que o então presidente da Fecomércio Ceará, Luiz Gastão Bitencourt, encabeçou a campanha Amigos do Prato, que em 2003 foi transformada em uma rede nacional de solidariedade atualmente chamado de Programa Mesa Brasil Sesc, com bancos de alimentos ativos em todo o território nacional.

A logística já era semelhante à ao modelo atual: mobilizar os empresários a doar o excedente da produção para a causa social, mantendo um estoque de alimentos que complementaria as refeições preparadas por creches, escolas, instituições de longa permanência, casas de recuperação, casas de apoio, associações comunitárias, projetos sociais e organizações não governamentais que atuam nos bolsões de pobreza na Capital e Interior.

Em 2014, o Brasil foi retirado do Mapa da Fome, devido aos programas sociais do Governo Federal e apoio da sociedade civil organizada. “O Mesa Brasil fez e está fazendo a sua parte. No Estado do Ceará estamos distribuindo uma média de 300 toneladas de alimentos por mês e fazendo uma grande diferença no aporte alimentar das famílias do Estado”, afirma Regina.

Atualmente, os bancos de alimentos ficam sediados em Fortaleza, que atende a Capital e Região Metropolitana; na cidade Sobral com abrangência para a Região Norte, em Iguatu que atende o Centro-Sul do Estado e em Juazeiro do Norte e Crato que abastecem as instituições do Cariri.

No Ceará, cerca de 80% dos alimentos doados são de hortifruticultura. O excedente da colheita de produtores rurais em todas as regiões é coletado para doação. Há também doadores individuais, como os permissionários da Centra de Abastecimento do Ceará (Ceasa), distribuidoras, e pequenas empresas.

Um dos doadores mais antigos é a Agrícola Formosa, que produz frutas e legumes para exportação, há mais de dez anos a empresa faz doações regulares ao Programa. Com sede na cidade de Icapuí, a empresa tem fazendas espalhadas pelo Ceará e Rio Grande do Norte, sendo a maior produtora de melões e melancias do Brasil e uma das maiores do mundo. Das safras de frutas e legumes, uma parte sempre é destinada ao banco de alimentos do Sesc, e, mesmo que a pandemia esteja acontecendo em período chuvoso de entressafra, apenas neste mês, o grupo doou 30 toneladas de abóbora. “A empresa já doou uma quantidade razoável”, explica o vendedor João Batista Rodrigues.

Urgência na pandemia - De acordo com Regilvânia Mateus de Araújo, membro Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional do Ceará, tanto o Consea, como o Conselho de Direitos Humanos, consideram em situação mais crítica na pandemia as pessoas nas áreas de risco de periferias urbanas, os catadores de material reciclável, pessoas em situação de rua, famílias de agricultores, família das pessoas encarceradas, migrantes, povos tradicionais, como os indígenas, quilombolas e povos de terreiro.

Para eles, a carência de alimentos já era uma realidade antes, e piora neste contexto de isolamento social, quando não podem sair para conseguir sustento. “São dívidas históricas, acúmulos de violações de direitos em segurança alimentar há muito tempo”, afirma Regilvânia.

Com mediação da ONG Caritas, da qual ela faz parte, o Mesa Brasil conseguiu cadastrar 14 associações de catadores de material reciclado em Fortaleza e enviar doações de alimentos para 370 catadores, suas famílias e comunidades.

Também em caráter emergencial, o Mesa Brasil integrou associações comunitárias de povos quilombolas, ciganos, de terreiro. Apoiando a Associação Ame Bem, foram destinados alimentos para 150 pessoas em situação de rua em Fortaleza.

Em período normal, o Programa doa alimentos para instituições sociais, que preparam as refeições para as pessoas que atendem, mas no momento de urgência foi preciso abranger novos métodos. “Nesse momento de pandemia, tivemos que cadastrar instituições que atendem famílias, a gente entrega a doação para as entidades e elas entregam para as famílias”, explica a gerente do Mesa Brasil Ceará, Regina Miranda.

Comentários

Entre em contato conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *

Notícias mais acessadas do mês

Morre atleta cearense Bernadete Lins

O organizador de corridas, Fernando Elpídio informa a morte neste domingo (28) aos 43 anos de idade, da atleta cearense Bernadete Lins (foto):

- Uma notícia de partir o coração. Bernadete Lins, atleta cearense profissional, faleceu hoje. Tenho um carinho especial por essa batalhadora, pessoa simples, humana, que dedicou a vida ao esporte. Não lembro de quantas vezes entreguei troféus nas suas mãos no pódio. QUE PERDA! :(".
Antônia Bernadete Lins da Silva era ipuense e cursava Educação Física na Universidade Vale do Acaraú (Uva), em Sobral. Disputou as mais diversas corridas no Ceará, no Brasil e no Mundo. Era a cearense da elite do Atletismo Feminino Brasileiro. Morreu na manhã deste domingo (28), em Maranguape, quando estava treinado. Ainda foi levada para Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Maranguape, mas chegou sem vida.
Confira a repercussão da morte de Bernadete Lins:
Marcos Prado - "Nota de pesar. Bernadete Lins nos deixa hoje, e o seu ultimo suspiro foi fazendo aquilo…

Morre o sonoplasta Diocrim

Morreu neste domingo (14), o radialista Carlos Alberto de Oliveira, o Diocrim. Ele foi operador de áudio e divulgador de discos. Diocrim que iniciou sua carreira no Maranhão transferiu-se para o Rádio de Fortaleza no final da década de 1960.


Trabalhou nas rádios Dragão do Mar, Ceará Rádio Clube, Verdes Mares, Cidade AM e rádios no Maranhão; alem de ter sido membro da equipe de produção do show do também já falecido comunicador Bezerra de Menezes (Bezerrão). Diocrim foi divulgador da RGE e empresário de muito artistas cearenses. 
Durante muitos anos foi o operador do Clube dos Tetéus comandado pelo comunicador Colombo Sá, que fazia literalmente eco nos rádios espalhados pelos lares, bares e táxis de Fortaleza com o slogan "Não dorme ninguém, Diocrim", por causa do par de óculos (ocrim) que Carlos Alberto usava, enquanto cuidava do roteiro musical e da sonoplastia do programa, na mesa de áudio da Rádio Clube e depois na Verdes Mares.
Diocrim deixa viúva dona Nailde e órfão as fi…

Hoje é o Dia Mundial do Doador de Sangue

O vereador Michel Lins (Cidadania) e integrantes da sua assessoria estiveram no Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce), em Fortaleza, para doar sangue.

Segundo Michel Lins, a ação foi idealizada com objetivo de chamar atenção para a importância de doar e consequentemente salvar vidas.
- Neste domingo (14) é o Dia Mundial do Doador de Sangue", lembra o vereador.

“Um gesto simples! Um ato de amor que precisa ainda ser melhor desmistificado para que mais e mais pessoas possam ser encorajadas a doarem vida! Quem doa sangue, doa vida! Quem puder, procure um local de coleta e concretize esse ato de amor ao próximo. É rápido, fácil e não dói nada”, afirma Michel.

A campanha deste ano enaltece a doação de sangue como estratégia para contribuição na redução da mortalidade materna.

Em Fortaleza, o principal posto de coleta de sangue é o Hemoce, na Avenida José Bastos, 3390 (Rodolfo Teófilo), que funciona de segunda a sexta-feira, das 7 horas às 18h30; e aos sábados, de 7 horas às…

Conquistas marcam primeiro ano da nova gestão da CDC

O alinhamento com o Governo Federal, além do estreitamento da relação com o Executivo estadual e municipal, fez com que o primeiro ano da nova gestão da Companhia Docas do Ceará fosse marcado por importantes avanços e conquistas. 

Escolhida pelo perfil técnico, a engenheira Mayhara Chaves assumiu a presidência da CDC no dia 24 de junho de 2019, tendo ao seu lado na tomada de decisões os diretores Humberto Castelo Branco (Administração e Finanças), Miguel Andrade (Infraestrutura e Gestão Portuária) e Mário Jorge Cavalcanti (Comercial), além do suporte de todos os colaboradores. Hoje, é possível afirmar que a companhia está saudável financeiramente com base no EBITDA, que apresentou crescimento superior a 180% no período de 12 meses.

Embora adiada temporariamente devido à Pandemia da Covid-19, a concessão do Terminal Marítimo de Passageiros foi considerada como prioridade pelo Governo Federal, o que possibilitará uma nova receita para investimentos no Porto de Fortaleza.
O arrendamento do …

M. Dias Branco destina R$ 5 milhões em ações sociais

A M. Dias Branco, líder em massas e biscoitos no País, doou um total de R$ 5 milhões em recursos financeiros e alimentos em ações sociais durante a Pandemia da Covid-19. Por meio da campanha #vocedoaagentedoa, de incentivo à doação de sangue a hemocentros, foram destinados R$ 1,2 milhão em recursos financeiros a hemocentros de cinco estados e mais R$ 1,2 milhão em alimentos a instituições carentes do Ceará, Rio de Janeiro, São Paulo, Pernambuco, Bahia e Rio Grande do Sul. Desde março, a companhia doou ainda outros R$ 2,6 milhões em massas e biscoitos para dezenas de entidades carentes em todo o País.




A campanha #vocedoaagentedoa foi realizada em parceria com cinco hemocentros: Instituto Pró-Hemoce (CE), Hemorio (RJ), Colsan/ Escola Paulista de Medicina (SP), Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre (RS) e Hemope (PE). Além dos recursos financeiros destinados à manutenção dos hemocentros, compra de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), instalação de postos de coleta ao ar livre…

Postagens mais visitadas deste blog

Morre atleta cearense Bernadete Lins

O organizador de corridas, Fernando Elpídio informa a morte neste domingo (28) aos 43 anos de idade, da atleta cearense Bernadete Lins (foto):

- Uma notícia de partir o coração. Bernadete Lins, atleta cearense profissional, faleceu hoje. Tenho um carinho especial por essa batalhadora, pessoa simples, humana, que dedicou a vida ao esporte. Não lembro de quantas vezes entreguei troféus nas suas mãos no pódio. QUE PERDA! :(".
Antônia Bernadete Lins da Silva era ipuense e cursava Educação Física na Universidade Vale do Acaraú (Uva), em Sobral. Disputou as mais diversas corridas no Ceará, no Brasil e no Mundo. Era a cearense da elite do Atletismo Feminino Brasileiro. Morreu na manhã deste domingo (28), em Maranguape, quando estava treinado. Ainda foi levada para Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Maranguape, mas chegou sem vida.
Confira a repercussão da morte de Bernadete Lins:
Marcos Prado - "Nota de pesar. Bernadete Lins nos deixa hoje, e o seu ultimo suspiro foi fazendo aquilo…

Morre o sonoplasta Diocrim

Morreu neste domingo (14), o radialista Carlos Alberto de Oliveira, o Diocrim. Ele foi operador de áudio e divulgador de discos. Diocrim que iniciou sua carreira no Maranhão transferiu-se para o Rádio de Fortaleza no final da década de 1960.


Trabalhou nas rádios Dragão do Mar, Ceará Rádio Clube, Verdes Mares, Cidade AM e rádios no Maranhão; alem de ter sido membro da equipe de produção do show do também já falecido comunicador Bezerra de Menezes (Bezerrão). Diocrim foi divulgador da RGE e empresário de muito artistas cearenses. 
Durante muitos anos foi o operador do Clube dos Tetéus comandado pelo comunicador Colombo Sá, que fazia literalmente eco nos rádios espalhados pelos lares, bares e táxis de Fortaleza com o slogan "Não dorme ninguém, Diocrim", por causa do par de óculos (ocrim) que Carlos Alberto usava, enquanto cuidava do roteiro musical e da sonoplastia do programa, na mesa de áudio da Rádio Clube e depois na Verdes Mares.
Diocrim deixa viúva dona Nailde e órfão as fi…

Hoje é o Dia Mundial do Doador de Sangue

O vereador Michel Lins (Cidadania) e integrantes da sua assessoria estiveram no Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce), em Fortaleza, para doar sangue.

Segundo Michel Lins, a ação foi idealizada com objetivo de chamar atenção para a importância de doar e consequentemente salvar vidas.
- Neste domingo (14) é o Dia Mundial do Doador de Sangue", lembra o vereador.

“Um gesto simples! Um ato de amor que precisa ainda ser melhor desmistificado para que mais e mais pessoas possam ser encorajadas a doarem vida! Quem doa sangue, doa vida! Quem puder, procure um local de coleta e concretize esse ato de amor ao próximo. É rápido, fácil e não dói nada”, afirma Michel.

A campanha deste ano enaltece a doação de sangue como estratégia para contribuição na redução da mortalidade materna.

Em Fortaleza, o principal posto de coleta de sangue é o Hemoce, na Avenida José Bastos, 3390 (Rodolfo Teófilo), que funciona de segunda a sexta-feira, das 7 horas às 18h30; e aos sábados, de 7 horas às…

Conquistas marcam primeiro ano da nova gestão da CDC

O alinhamento com o Governo Federal, além do estreitamento da relação com o Executivo estadual e municipal, fez com que o primeiro ano da nova gestão da Companhia Docas do Ceará fosse marcado por importantes avanços e conquistas. 

Escolhida pelo perfil técnico, a engenheira Mayhara Chaves assumiu a presidência da CDC no dia 24 de junho de 2019, tendo ao seu lado na tomada de decisões os diretores Humberto Castelo Branco (Administração e Finanças), Miguel Andrade (Infraestrutura e Gestão Portuária) e Mário Jorge Cavalcanti (Comercial), além do suporte de todos os colaboradores. Hoje, é possível afirmar que a companhia está saudável financeiramente com base no EBITDA, que apresentou crescimento superior a 180% no período de 12 meses.

Embora adiada temporariamente devido à Pandemia da Covid-19, a concessão do Terminal Marítimo de Passageiros foi considerada como prioridade pelo Governo Federal, o que possibilitará uma nova receita para investimentos no Porto de Fortaleza.
O arrendamento do …

M. Dias Branco destina R$ 5 milhões em ações sociais

A M. Dias Branco, líder em massas e biscoitos no País, doou um total de R$ 5 milhões em recursos financeiros e alimentos em ações sociais durante a Pandemia da Covid-19. Por meio da campanha #vocedoaagentedoa, de incentivo à doação de sangue a hemocentros, foram destinados R$ 1,2 milhão em recursos financeiros a hemocentros de cinco estados e mais R$ 1,2 milhão em alimentos a instituições carentes do Ceará, Rio de Janeiro, São Paulo, Pernambuco, Bahia e Rio Grande do Sul. Desde março, a companhia doou ainda outros R$ 2,6 milhões em massas e biscoitos para dezenas de entidades carentes em todo o País.




A campanha #vocedoaagentedoa foi realizada em parceria com cinco hemocentros: Instituto Pró-Hemoce (CE), Hemorio (RJ), Colsan/ Escola Paulista de Medicina (SP), Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre (RS) e Hemope (PE). Além dos recursos financeiros destinados à manutenção dos hemocentros, compra de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), instalação de postos de coleta ao ar livre…