Pular para o conteúdo principal

Morre doutor pesquisador Gilmar de Carvalho

O professor, jornalista, redator publicitário, escritor, doutor e pesquisador Francisco Gilmar Cavalcante de Carvalho (foto), de 71 anos, morreu, na madrugada deste domingo (18 de abril), após 29 dias internado numa Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional da Unimed Fortaleza, com covid-19.

Gilmar de Carvalho foi meu professor no Curso de Jornalismo de Universidade Federal do Ceará (UFC).

Lembro de uma cena em sala de aula, no Centro de Humanidades do Campus do Benfica. Gilmar de Carvalho estreava como professor na nossa turma 1983.1. Uma estudante atrapalhava sua aula e ele calmamente pediu para ela deixar a sala para que pudesse conversar com a turma. Ela atendeu e ficou prestando  atenção a aula-conversa. Aliás todas as aulas de Gilmar para minha turma eram conversas sábias.

O penúltimo boletim médico de Gilmar de Carvalho apontava:

- Paciente grave. Sedado. Continua precisando melhorar a oxigenação do pulmão, que está muito inflamado. Fazendo uso de antibióticos e alto fluxo de ventilação mecânica".

Biografia - Francisco Gilmar Cavalcante de Carvalho nasceu, em Sobral, em 1949. Fez doutorado em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo. 

No Curriculum Lattes de Gilmar de Carvalho está:

- Bacharel em Direito pela Universidade Federal do Ceará (1971) e em Comunicação Social (1972) pela mesma Universidade. Mestre em Comunicação Social, pela Universidade Metodista de São Paulo (1991). Doutor em Comunicação e Semiótica, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1998). Sua área de interesse é o das relações entre a Comunicação e a Cultura. Professor do Departamento de Comunicação Social (de 1984 a 2010). Aposentado como Professor Associado Nível 2, em fevereiro de 2010.
  1. 1967-1971: Graduação em Direito. Universidade Federal do Ceará, UFC, Brasil.
  2. 1969-1972: Graduação em Comunicação Social. Universidade Federal do Ceará, UFC, Brasil.
  3. 1986-1988: Mestrado em Comunicação Social (Conceito CAPES 4). Universidade Metodista de São Paulo, UMESP, Brasil. Título: O folheto de cordel como instrumento da venda de serviços, produtos e lojas no Ceará,Ano de Obtenção: 1991. Orientador: Luiz Roberto Alves. Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil. Palavras-chave: PUBLICIDADE; CORDEL; CEARÁ. Grande área: Ciências Sociais Aplicadas Setores de atividade: Produtos e Serviços Recreativos, Culturais, Artísticos e Desportivos.
  4. 1994-1998: Doutorado em Comunicação e Semiótica (Conceito CAPES 4). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, PUC/SP, Brasil. Título: Madeira Matriz : Cultura e Memória, Ano de obtenção: 1998. Orientador: Jerusa Pires Ferreira Schnaiderman. Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil. Palavras-chave: XILOGRAVURA; MEMÓRIA; CULTURA. Grande área: Ciências Sociais Aplicadas Setores de atividade: Edição, Impressão, Reprodução e Gravação Industriais de Jornais, Revistas, Livros, Discos, Fitas, Vídeos e Filmes.
Em 2019 Gilmar de Carvalho doou os arquivos de sua biblioteca para o Acervo do Escritor Cearense (AEC), da UFC, onde são guardadas memórias de figuras importantes do Estado. O acervo de Gilmar tem correspondências trocadas com amigos, documentos históricos, livros, fotografias antigas e jornais. A riqueza do que Gilmar de Carvalho doou para o AEC pode ser avaliada nesta listagem:
  • Biblioteca – constituída por obras literárias escritas por ele, livros sobre suas pesquisas em comunicação e cultura popular; organização de publicações e trabalhos em parceria com outros pesquisadores.
  • Audiovisuais – fitas de áudio, CDs e HD, contendo entrevistas com Patativa do Assaré, durante as pesquisas de campo realizadas por Gilmar.
  • Iconografia – fotos, xilogravuras, folders de apresentações teatrais do próprio autor e de seminários e conferências locais e em diversas regiões do Brasil, cartões de visita, filipetas e convites para lançamentos de livros;
  • Matérias (do autor e de terceiros) extraídas de jornais e revistas – dessa série constam publicações do Jornal do Brasil, Folha de São Paulo, Gazeta de Notícias, Correio do Ceará, Diário do Nordeste, O Povo, Jornal do Cariri, O Pasquim, Jornal das Letras, e outros periódicos de pequeno porte como os tabloides. Dentre esses materiais, há publicações que datam dos anos 1950 à atualidade;
  • Correspondências – cartas, ofícios, e-mails, cartões-postais, cartões natalinos e solicitações diversas recebidas e emitidas por Gilmar de Carvalho.
  • Manuscritos – constituídos por fichas de leitura, páginas soltas, pequenos blocos contendo anotações sobre literatura, filosofia, cultura popular, citações retirados de periódicos e outras fontes, e esquematizações para a escritura de textos.
  • Materiais de estudo – textos em língua portuguesa, espanhola, francesa e inglesa referentes ao estudo de linguagem, literatura e história.
  • Materiais para publicação – versões de livros submetidos a correções antes das publicações.
  • Entrevistas – realizadas com poetas e cantadores populares, tipógrafos, xilógrafos, santeiros e outros, fonte de pesquisa para a elaboração de diversos livros sobre a tradição popular.
  • Relatórios – escritos por Gilmar de Carvalho e por terceiros.
Prêmios - Ao longo de sua carreira Gilmar de Carvalho recebeu os seguintes prêmios:
  • 1983 - Prêmio Estado do Ceará- Categoria Teatro, Secretaria de Cultura e Desporto do Ceará.
  • 1991 - Título Honorífico de Cidadão de Juazeiro do Norte, Câmara Municipal de Juazeiro do Norte (CE).
  • 1998 - Prêmio Dragão do Mar - Categoria Especial, Secretaria da Cultura do Ceará.
  • 1998 - Prêmio Silvio Romero, FUNARTE.
  • 1998 - Rodrigo Melo Franco de Andrade - Menção Honrosa, IPHAN / MInistério da Cultura.
  • 1999 - Erico Vanucci Mendes, CNPq.
  • 2011 - Medalha do Mérito Cultural, Academia Cearense de Letras.
  • 2011 - Homenagem do MAUC, Museu de Arte da Universidade Federal do Ceará (nos seus cinquenta nos de criação).
  • 2014 - Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade (em parceria com Francisco da Conceição Sousa), IPHAN.
  • 2017 - Medalha Mário de Andrade- 80 anos do IPHAN, IPHAN.
Artigos -  Sãos 33 artigos completos publicados em periódicos:
  • 1. CARVALHO, F. G. C.. Questões culturais no Ceará. Revista de Ciências Sociais (UFC), v. 45, p. 263-274, 2014.
  • 2. CARVALHO, F. G. C.. Um aedo sertanejo - Patativa do Assaré e o mundo do cordel. Revista da Biblioteca Mário de Andrade, v. 66, p. 135-157, 2011.
  • 3. CARVALHO, F. G. C.. História (de bolso) da propaganda cearense. Anuário do Ceará, v. 2008, p. 679-721, 2008.
  • 4. CARVALHO, F. G. C.. Geraldo Markan:um retrato impreciso. Revista de Ciências Sociais (Fortaleza), v. 39, p. 106-110, 2008.
  • 5. CARVALHO, F. G. C.. O ponto do bordado. Ângulo (Lorena), v. 109, p. 46-49, 2007.
  • 6. CAMPOS, F. ; CARVALHO, F. G. C. . Anotações para uma história cultural do Ceará. Anuário do Ceará, v. 2007, p. 567-610, 2007.
  • 7. CARVALHO, F. G. C.. Migrações, narrativa e sertão (o caso do cordel). Revista de Ciências Sociais (Fortaleza), v. 38, p. 14-18, 2007.
  • 8. CARVALHO, F. G. C.. Moisés Matias de Moura: cordel e notícia. Cultura Crítica, v. 6, p. 83-87, 2007.
  • 9. CARVALHO, F. G. C.. O sertão errante de Antonio Conselheiro. Trajetos (UFC), v. 4, p. 219-227, 2006.
  • 10. CARVALHO, F. G. C.. O cordel do Juazeiro. Comunicação Pública - Revista Multidisciplinar de Comunicação, v. 2, p. 133-143, 2006.
  • 11. CARVALHO, F. G. C.. Milênio, profecia e missão. Babel- Cadernos de Semiótica e Religião, v. 2, p. 09-23, 2003.
  • 12. CARVALHO, F. G. C.. Patativa do Assaré: Memórias da Cantoria. OPSIS (UFG), Catalão-GO, v. 2, p. 09-20, 2002.
  • 13. CARVALHO, F. G. C.; HOFFLER, A. . O último profeta do milênio. Concinnitas (UERJ), v. 3, p. 473-481, 2002.
  • 14. CARVALHO, F. G. C.. Cordel, cordão, coração. Revista do GELNE (UFC), v. 4, p. 285-292, 2002.
  • 15. CARVALHO, F. G. C.. Tradição Contemporânea da Xilogravura Popular de Juazeiro do Norte. Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro, v. 147, p. 45-54, 2001.
  • 16. CARVALHO, F. G. C.. O rondó romântico e a tradição popular. Ângulo (Lorena), v. 87, p. 36-39, 2001.
  • 17. CARVALHO, F. G. C.. Les Almanachs populaires du Nordeste Brésilien "O Juízo do Ano", de Manoiel Caboclo e Silva. L`Aleph, v. 7, p. 32-42, 2001.
  • 18. CARVALHO, F. G. C.. Patativa e a Comunidade Poética da Serra de Santana. Revista do GELNE (UFC), Fortaleza, v. 2, p. 144-147, 2000.
  • 19. CARVALHO, F. G. C.. Patativa do Assaré: Natureza e Cultura. Revista do GELNE (UFC), Fortaleza, v. 2, p. 129-132, 1999.
  • 20. CARVALHO, F. G. C.. Patativa do Assaré:Poesia, Profecia e Performance. Revista de Ciências Sociais (Fortaleza), Fortaleza, v. 30, p. 28-36, 1999.
  • 21. CARVALHO, F. G. C.. Patativa do Assaré: memória e poética. MOARA, v. 5, p. 93-99, 1996.
  • 22. CARVALHO, F. G. C.. Apropriação de magia e discurso publicitário. Revista de Letras (Fortaleza), v. 17, p. 36-38, 1995.
  • 23. CARVALHO, F. G. C.. Xilogravura e Idade Média. Ângulo (Lorena), v. 62, p. 08-11, 1995.
  • 24. CARVALHO, F. G. C.. Xilogravura: os percursos da criação popular. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, v. 39, p. 143-158, 1995.
  • 25. CARVALHO, F. G. C.. Matrizes da leitura: a expressão xilográfica. Leitura. Teoria & Prática (Campinas), v. 24, p. 49-51, 1994.
  • 26. CARVALHO, F. G. C.. Marilena Chauí e a Comunicação Social. Comunicarte, v. 13/14, p. 50-56, 1989.
  • 27. CARVALHO, F. G. C.. Propaganda e questão ecológica: o caso cearense. Comunicação & Sociedade, v. 16, p. 39-55, 1989.
  • 28. CARVALHO, F. G. C.. Editoração de folhetos populares no Ceará. Revista de Comunicação Social, v. 17, p. 31-67, 1987.
  • 29. CARVALHO, F. G. C.. A regionalização da linguagem como estratégia de afirmação da publicidade cearense. Revista de Comunicação Social, v. XVI, p. 01-26, 1986.
  • 30. CARVALHO, F. G. C.. A contribuição cearense à propaganda no Piauí. Revista de Comunicação Social, v. XV, p. 23-53, 1985.
  • 31. CARVALHO, F. G. C.. A questão ecológica no discurso publicitário cearense. Revista de Comunicação Social, v. XV, p. 29-47, 1985.
  • 32. CARVALHO, F. G. C.. Referenciais cearenses na comunicação musical de Ednardo. Revista de Comunicação Social, v. XIII, p. 71-103, 1983.
  • 33. CARVALHO, F. G. C.. Propaganda no Ceará: do propósito de escrever uma história. Revista de Comunicação Social, v. XII, p. 75-101, 1982.
Livros - São 54 livros publicados/organizados ou edições
  • 1. CARVALHO, F. G. C.; Carvalho, Eleuda de (Org.) ; ANDRADE, C. H. S. (Org.) ; FEITOSA, L. T. (Org.) ; LEMAIRE, R. (Org.) ; CARIRY, R. (Org.) ; GONCALVES, D. (Org.) . O Melhor do Patativa do Assaré. 1. ed. Fortaleza: Secretaria da Cultura do Estado do Ceará / Fundação Memorial Patativa do Assaré, 2020. v. 1000. 265p .
  • 2. GUIMARAES, D. (Org.) ; CARVALHO, F. G. C. (Org.) ; MIRANDA, A. (Org.) ; TULIO, D. (Org.) ; FIRMO, E. (Org.) ; ARAUJO, H. (Org.) ; GUILHERME, R. (Org.) ; VIEIRA, J. F. (Org.) ; DUARTE JR, R. (Org.) ; COSTA, E. S. (Org.) . La Femme Bateau. 1. ed. Fortaleza: Expressão Gráfica e Editora, 2019. v. 1000. 88p .
  • 3. CARVALHO, F. G. C.; SOUSA, F. C. . Tirinete-Rabecas da Tradição. 1. ed. Fortaleza: Expressão Gráfica e Editora, 2018. v. 1000. 436p .
  • 4. CARVALHO, F. G. C.. O Gerente Endoidou. Ensaios sobre Publicidade & Propaganda no Ceará. 2. ed. Fortaleza: Universidade de Fortaleza (UNIFOR), 2018. v. 800. 360p .
  • 5. CARVALHO, F. G. C.. Patativa do Assaré - Uma biografia. 3. ed. Fortaleza (CE): Expressão Gráfica e Editora, 2017. v. 500. 104p .
  • 6. CARVALHO, F. G. C.. Música de Fortaleza. 1. ed. Fortaleza (CE): Expressão Gráfica e Editora, 2016. v. 1000. 94p .
  • 7. CARVALHO, F. G. C.; COSTA, P. E. B. (Org.) ; KUNZ, M. S. (Org.) ; CASIMIRO, A. R. (Org.) ; SARNO, G. (Org.) ; SOUSA, F. C. (Org.) ; BEZERRA, N. F. (Org.) ; ALBANO, M. (Org.) . Noza. O Escultor do Padre Cícero. 1. ed. Fortaleza-CE: Edições UFC/ Expressão Gráfica e Editora, 2014. v. 1000. 204p .
  • 8. CARVALHO, F. G. C.. Severino do Horto - O cordel do Juazeiro. 1. ed. Fortaleza (CE): Expressão Gráfica e Editora, 2014. v. 700. 288p.
  • 9. CARVALHO, F. G. C.. A xilogravura de Juazeiro do Norte. 1. ed. Fortaleza (CE): IPHAN, 2014. v. 1000. 392p .
  • 10.CARVALHO, F. G. C.; SOUSA, F. C. . O Ceará do Ednardo. 1. ed. Fortaleza (CE): Expressão Gráfica e Editora, 2013. v. 1000. 92p .
  • 11.ASSARE, P. (Org.) ; CARVALHO, F. G. C. (Org.) . Cordéis - Patativa do Assaré. 2. ed. Fortaleza: Edições UFC, 2012. v. 1.000. 360p .
  • 12.CARVALHO, F. G. C.. A Lira do Poeta Expedito. 1. ed. Fortaleza (CE): Expressão Gráfica e Editora, 2012. v. 500. 175p .
  • 13. CARVALHO, F. G. C.; COUTINHO, F. (Org.) ; LUCAS, M. R. L. (Org.) ; PAULA, S. (Org.) ; COSTA, P. E. B. (Org.) ; MARQUES, K. (Org.) ; LOPES, A. S. (Org.) ; COUTO, M. F. M. (Org.) ; ESMERALDO, S. (Org.) . Antônio Bandeira e a poética das cores. 1. ed. Fortaleza (CE): Edições UFC, 2012. v. 1000. 140p .
  • 14. CARVALHO, F. G. C.. Moisés Matias de Moura- O cordel de Fortaleza. 1. ed. Fortaleza(CE): Expressão Gráfica e Editora, 2011. v. 500. 234p .
  • 15. CARVALHO, F. G. C.. Parabélum (Segunda edição). 2. ed. Fortaleza (CE): Armazém da Cultura, 2011. v. 1000. 261p .
  • 16. CARVALHO, F. G. C.. Teatro Completo. 1. ed. Fortaleza (CE): SECULT- CE, 2011. v. 1000. 258p .
  • 17. CARVALHO, F. G. C.; OLIVEIRA JR, A. W. (Org.) ; REINALDO, G. F. (Org.) ; SOUSA, F. C. (Org.) ; BATISTA, A. (Org.) ; DANTAS, F. R. S. (Org.) ; HOFFLER, A. (Org.) ; FRANCA JR., L. C. (Org.) ; SALMITO, R. R. (Org.) ; RIOS, K. (Org.) ; VITAL, A. (Org.) . Onze vezes Joaseiro - Tributo a Ralph Della Cava. 1. ed. Fortaleza (CE): Expressão Gráfica Editora, 2011. v. 500. 204p.
  • 18. CARVALHO, F. G. C.. Xilogravura:doze escritos na madeira (Segunda edição). 2. ed. Fortaleza: Museu do Ceará, 2011. v. 1000. 112p .
  • 19. CARVALHO, F. G. C.. Patativa do Assaré: Pássaro Liberto (Segunda edição). 2. ed. Fortaleza: Museu do Ceará, 2011. v. 1000. 174p .
  • 20. CARVALHO, F. G. C.. Lyra Popular: o cordel do Juazeiro (Segunda edição). 2. ed. Fortaleza: Museu do Ceará, 2011. v. 1000. 94p .
  • 21. CARVALHO, F. G. C.. Memórias da Xilogravura. 1. ed. Fortaleza: Expressão Gráfica, 2010. v. 1000. 228p .
  • 22. SANTANA, T. ; CARVALHO, F. G. C. . Patativa do Assaré - o sertão dentro de mim. 1. ed. Fortaleza: Tempo d'Imagem, 2010. 144p .
  • 23.  CARVALHO, F. G. C.. A Televisão no Ceará - 1959/1966 (Terceira edição). 3. ed. Fortaleza: Expressão Gráfica, 2010. v. 500. 184p .
  • 24. CARVALHO, F. G. C.; SOUSA, F. C. . A grande arte de Estrigas. 1. ed. Fortaleza: Expressão Gráfica e Editora, 2009. v. 500. 104p .
  • 25. CARVALHO, F. G. C.; REINALDO, G. F. (Org.) ; FEITOSA, L. T. (Org.) ; FRANCA JR., L. C. (Org.) ; LEMAIRE, R. (Org.) ; MATOS, E. (Org.) ; BENJAMIN, R. (Org.) ; ANDRADE, C. H. S. (Org.) ; ALENCAR, M. S. M. (Org.) ; DEBS, S. (Org.) ; MENDES, S. (Org.) ; CHEN, L. R. (Org.) ; SANTOS, F. (Org.) . Patativa em Sol Maior -Treze Ensaios sobre o Poeta Pássaro. 1. ed. Fortaleza: Edições UFC, 2009. v. 1000. 193p .
  • 26. CARVALHO, F. G. C.. Cem Patativa. 1. ed. Fortaleza: Omni, 2009. v. 1000. 215p .
  • 27. CARVALHO, F. G. C.. Rangel Escultor- O Artista que veio de Jardim. 1. ed. Fortaleza: Expressão Gráfica, 2008. v. 1000. 88p 
  • 28. CARVALHO, F. G. C.; SOUSA, F. C. . Rabecas do Ceará. 1. ed. Fortaleza: Expressão Gráfica e Editora, 2006. v. 1000. 329p .
  • 29. CARVALHO, F. G. C.; SOUSA, F. C. . Mestres da Cultura Tradicional Popular do Ceará. Fortaleza: Secult, 2006. v. 1000. 232p .
  • 30. ASSARE, P. (Org.) ; CARVALHO, F. G. C. (Org.) . Cordéis e Outros Poemas. 1. ed. Fortaleza: Edições UFC, 2006. v. 2000. 179p .
  • 31.CARVALHO, F. G. C.; SOUSA, F. C. . Artes da Tradição - Mestres do Povo. 1ª. ed. Fortaleza: Expressão Gráfica, 2005. v. 1500. 266p .
  • 32. CARVALHO, F. G. C.. Tramas da Cultura. 1ª. ed. Fortaleza: Museu do Ceará, 2005. v. 1000. 112p .
  • 33. CARVALHO, F. G. C.; SOUSA, F. C. . Pequenas Horas - Babinski no Ceará. 1. ed. Fortaleza: Expressão Gráfica e Editora, 2005. v. 1000. 80p .
  • 34. CARVALHO, F. G. C.. Mestres Santeiros- Retábulos do Ceará. 1ª. ed. Fortaleza: Museu do Ceará, 2004. v. 1000. 112p .
  • 35. CARVALHO, F. G. C.. Bonito pra chover- Ensaios sobre a Cultura cearense. 1. ed. Fortaleza: Edições Demócrito Rocha, 2003. v. 1000. 339p .
  • 36. CARVALHO, F. G. C.. Patativa Poeta Pássaro do Assaré (Segunda edição). 2. ed. Fortaleza: Omni Editora Asociados, 2002. v. 1000. 187p .
  • 37. CARVALHO, F. G. C.. Cordel Canta Patativa. 1. ed. Fortaleza: Edições Demócrito Rocha, 2002. v. 1000. 311p .
  • 38. CARVALHO, F. G. C.. Neco Martins. 1. ed. São Paulo: Hedra, 2002. v. 1000. 157p .
  • 39. CARVALHO, F. G. C.. Poetas do Povo do Piauí- A mídia cordel. 1. ed. São Paulo: Terceira Margem, 2001. v. 1000. 207p .
  • 40. CARVALHO, F. G. C.. Poetas do Povo do Piauí- Imaginário e Indústria Cultural. 1. ed. São Paulo: Terceira Margem, 2001. v. 1000. 206p .
  • 41. CARVALHO, F. G. C.. Patativa do Assaré- Antologia Poética. 1. ed. Fortaleza: Edições Demócrito Rocha, 2001. v. 1000. 323p .
  • 42. CARVALHO, F. G. C.; ASSARE, P. (Org.) . O Casamento e o Divórcio da Lagartixa. 1. ed. São Paulo: Hedra, 2001. v. 1000. 77p .
  • 43. CARVALHO, F. G. C.. Manoel Caboclo. 1. ed. São Paulo: Hedra, 2000. v. 1000. 155p .
  • 44. CARVALHO, F. G. C.. Desenho Gráfico Popular. 1. ed. São Paulo: IEB - USP, 2000. v. 1000. 125p .
  • 45. CARVALHO, F. G. C.. Patativa do Assaré. 1. ed. Fortaleza(CE): Edições Demócrito Rocha, 2000. v. 1000. 86p .
  • 46.  CARVALHO, F. G. C.. Madeira Matriz- Cultura e Memória. 1. ed. São Paulo: Annablume, 1999. v. 1000. 281p .
  • 47. GENTIL, S. G. (Org.) ; CARVALHO, F. G. C. (Org.) . Nova Cozinha Nordestina de Sandra Getty Gentil. 1. ed. São Paulo: Maltese, 1995. v. 1000. 80p .
  • 48.  CARVALHO, F. G. C.. Publicidade em Cordel - O Mote do Consumo. 1. ed. São Paulo: Editora Maltese, 1994. v. 1000. 176p.
  • 49. CARVALHO, F. G. C.. Pequenas Histórias de Crueldade. 1. ed. Fortaleza: Imprensa Oficial do Ceará -IOCE, 1987. v. 500. 116p .
  • 50. CARVALHO, F. G. C.; MESQUITA, J. V. C. . Estudos de Comunicação no Ceará. 1. ed. Fortaleza: Edições Agora, 1985. v. 1000. 149p .
  • 51. CARVALHO, F. G. C.. Buick Frenesi. 1. ed. Fortaleza: Secretaria de Cultura e Desporto do Estado do Ceará, 1985. v. 500. 146p .
  • 52. CARVALHO, F. G. C.. Queima de Arquivo. 1. ed. Fortaleza: Secretaria de Cultura e Desporto do Estado do Ceará, 1983. v. 500. 112p .
  • 53. CARVALHO, F. G. C.. Resto de Munição. 1. ed. Fortaleza: Secretaria de Cultura e Desporto do Estado do Ceará, 1982. v. 500. 109p .
  • 54. CARVALHO, F. G. C.. Pluralia Tantum. 1. ed. Fortaleza: Gráfica Editorial Cearense- GRECEL, 1973. v. 500. 124 páginas .
Publicitário - Trabalhou com destaque como redator publicitário das agências:
  • Scala Publicidade (1978-1982).
  • Mark Propaganda (1981-1984).

Repercussão - O Blog do Lauriberto traz a repercussão da morte de Gilmar de Carvalho:
  • Artista Dodora Guimarães - Francisco Gilmar Cavalcante de Carvalho (Sobral, 1949 - Fortaleza, 2021), o escritor que trocou a ficção pelo magistério, o nosso querido PROFESSOR GILMAR DE CARVALHO, deixa o mundo órfão de sua inteligência rara. A Cultura Brasileira perde um de seus mais dedicados colaboradores, e a cultura do  Ceará o seu mais competente tradutor. Com pesar,  Dodora Guimarães".
  • Diário do Nordeste Digital - Pesquisador e professor Gilmar de Carvalho morre de Covid-19 aos 71 anos".
  • O Povo - Professor Gilmar de Carvalho morre vítima da Covid-19".
  • Blog do Lauriberto - Morre doutor pesquisador Gilmar de Carvalho".
  • Governador do Ceará, Camilo Santana (PT) - Recebi com muito pesar a notícia da morte do professor Gilmar de Carvalho, vítima da Covid. Doutor em Comunicação pela PUC-SP, Gilmar era também um dos mais respeitados pesquisadores da Cultura Popular Cearense. Meu abraço fraterno de solidariedade a todos os familiares, amigos e alunos do professor Gilmar de Carvalho, e a todos os cearenses que perderam parentes para a Covid".
  • Nota de Pesar da UFC  - É com profundo pesar que a Universidade Federal do Ceará (UFC) comunica o falecimento, neste domingo (18), aos 71 anos, do professor Francisco Gilmar Cavalcante de Carvalho (foto Arlindo Barreto), docente aposentado do Curso de Jornalismo, do Instituto de Cultura e Arte (ICA) da UFC. Um dos pesquisadores da cultura mais importantes do País, autor de mais de 50 livros e referência nacional na área de tradições e culturas populares, Gilmar de Carvalho estava internado desde 20 de março. Mestre em Comunicação Social pela Universidade Metodista de São Paulo e doutor em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1998), ele ingressou na UFC em 1984, como professor do antigo Curso de Comunicação Social, que era composto pelas habilitações em Jornalismo e Publicidade e Propaganda. Aposentou-se em 2010, mas permanecia em plena atividade, atuando como “uma das mentes mais prodigiosas e sagazes da cultura cearense”, conforme descreveram em nota os colegas do Curso de Jornalismo e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFC. Para este ano de 2021, preparava a publicação de uma nova obra, “A poética das vozes”, sobre o legado de grandes nomes da cantoria, do cordel, dos saraus e de outras linguagens artísticas. Em 2009, Gilmar de Carvalho iniciou a doação de seu arquivo pessoal ao Acervo do Escritor Cearense (AEC), da Biblioteca de Ciências Humanas da UFC. São livros, documentos, fotografias, correspondências, reportagens e manuscritos referentes à memória de importantes nomes da cultura cearense. No aniversário de 10 anos da doação, em entrevista à UFCTV, o pesquisador falou sobre a importância da preservação da memória artística e cultural: "Muitas vezes, quando alguém que tem uma fortuna crítica, tem uma memória, morre, esse material é jogado fora. Nem sempre as famílias valorizam. Eu não tenho herdeiros diretos, não tive filhos. Então eu tinha de me cuidar, me resguardar. E acho que não poderia ter lugar melhor do que o Acervo do Escritor Cearense para eu trazer esse material e vê-lo tão bem guardado, conservado e utilizado". Ao longo de sua trajetória, foi contemplado com vários prêmios e títulos, dentre os quais a Medalha Mário de Andrade, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), em 2017; e a Medalha do Mérito Cultural da Academia Brasileira de Letras, em 2011. Em 2019, teve aprovado o título de Doutor Honoris Causa da UFC. Neste momento de dor, a UFC se solidariza com amigos e parentes do professor Gilmar de Carvalho, rendendo homenagens à sua importância para a Universidade, para o Jornalismo e para a cultura brasileira.
  • Curso de Jornalismo da UFC - O Curso de Jornalismo e o Programa de Pós-Graduação em Comunicação, da Universidade Federal do Ceará, comunicam o falecimento do professor Gilmar de Carvalho. Uma das mentes mais prodigiosas e sagazes da Cultura Cearense. Gilmar soube, com argúcia, competência e sensibilidade, nos falar sobre aquilo que somos e que compartilhamos como cultura. Em qual dimensão estiver, que tenha armado um tempo 'bonito pra chover' para lhe receber com todas as honras que merece! Toda nossa  solidariedade a Francisco e família". 
  • Professor e jornalista Demétrio Andrade  - Além das suas inúmeras qualidades - professor, pesquisador, publicitário, escritor - Gilmar de Carvalho representa pra mim a memória afetiva de um tempo maravilhoso vivido entre as paredes do Curso de Comunicação Social da UFC. Este seu aluno lhe rende aqui um gesto de saudade e respeito, assim como se respeita tudo que é eterno.
  • Jornalista Flávio Paiva - GILMAR DE CARVALHO (1949 – 2021). Partiu na caravana da covid-19 esse querido pesquisador da relação da comunicação com a cultura, autor de diversas obras que tratam de manifestações da nossa tradição popular. Na foto, feita no domingo 03/03/2013, ele, de camisa vermelha, em um dos momentos incríveis que compartilhamos com o casal Nice (1921 – 2013) e Estrigas (1919 – 2014) na Casa-Museu do Mondubim. E neste domingo eles vão se encontrar!!!
  • Professor Evaldo Lima - Gilmar de Carvalho foi mestre, conselheiro, autor, pesquisador profícuo e amigo muito querido. Tanto por fazer, ensinar, dizer. O domingo se veste de luto, o céu se veste de festa. Descanse em paz, Professor!
  • Jornalista Letícia Amaral - Hoje o Ceará amanheceu nublado, triste. Um de nossos maiores mestres das Ciências Humanas se foi sem que pudéssemos nos organizar pra despedida. Cedo demais. Grande mestre Gilmar de Carvalho, professor admirado, descanse em paz. Teremos sua imagem tão simples, tão leve, sempre na memória. Dificilmente ouviremos vozes mais intelectuais, necessárias, sábias. Eu sinto muitíssimo sua partida tão precoce, sinto muito. Obrigada por tudo. Seu legado é um tesouro de ouro e argila, de canto e de cordel, e de sandálias de rabicho, que não o faziam menor em nada. #rip 
  • Jornalista Flamínio Araripe - Conheci Gilmar de Carvalho quando ele quis relançar o livro “Patativa do Assaré, Novos Poemas Comentados” (1970), de meu avô José de Figueiredo Filho. Minha mãe Eneida assinou o cessão dos direitos e a obra foi reeditada em 2005. Sou grato pelo que escreveu na reedição da obra".
  • Jornalista Carla Soraya Florêncio - Encontrar com o professor Gilmar era um alegria imensa. Entrevista o querido mestre, era uma honra! Professor Gilmar de Carvalho era pura sapiência, Educação e  gentileza com pitadas de humor crítico. Perdemos um lorde do saber, da Cultura e do Jornalismo Cearense. Quem foi seu aluno (a) ou o conheceu, hoje também está sentindo a dor dessa perda. Gilmar lutou, sofreu, resistiu o quanto pode, mas foi vencido pela Covid-19 e suas consequências. Descanse em paz, grande Gilmar de Carvalho! Os seus livros e pesquisas serão nossos abrigos quando a saudade apertar".
  • Professora Cida de Sousa - Gilmar de Carvalho, meu amigo, meu colega está de volta à casa do Pai. Derrama, Senhor, sobre ele o Seu Amor. E livra, meu Deus, o mundo dessa pandemia e desse descaso que nos leva todo dia, no mundo inteiro, gente de tanto valor. Sentirei saudade, Gilmar, mas o manterei vivo no meu coração, assim como compartilharei o que aprendi com você. A UFC perde. A cidade perde. O Ceará perde. Assim como perdem todos aqueles que pelo mundo afora conheceram seu trabalho e pensamento. Que Deus conforte os familiares, amigos e admiradores.
  • Amigo Deugiolino Lucas - Comunico aos amigos do face e da TVC - Que o nosso amado e querido, Gilmar de Carvalho, faleceu neste domingo. Ainda não pude refazer-me desta lamentável notícia. Que sua alma descanse em paz. E trago aqui o último adeus a este inesquecível amigo que atravessou uma boa parte de minha vida artística desde o Grupo Balaio, CAD da UFC, até quando trabalhei em produção e comercial para a agencia "Escala" de Propaganda. Ele sempre estava presente com o seu apoio e sua energia positiva. Fica a saudade do professor, do amigo, do dramaturgo, do homem conhecedor da cultura popular, do mestre de uma pluralidade de olhares e ideias sobre o mundo....
  • Jornalista Eduardo Galdino - Lamentável! Nunca vou esquecer dos dois dias que Gilmar de Carvalho reservou na sua agenda, para me apresentar ao mercado da comunicação cearense em 1995. Agora, o imortal pesquisador da cultura popular se encontrará com outros dois intelectuais do nosso Ceará, no plano espiritual: Daniel Walker e Raimundo Araújo. Foram eles que me apresentaram ao Gilmar. Tenho gratidão por todos. Também vou sentir saudades de encontrar Gilmar no Shopping Aldeota, onde gostava de passear e beber um bom café... Algo que os estudiosos gosta e muito! É com o coração combalido que recebo essa triste notícia. Que Jesus lhe receba em luz, professor Gilmar. O mundo acadêmico e  a seara cultural cearense choram a sua partida. O domingo (18 de abril de 2021) é de lágrimas pra  todos que lhe admiravam, como todos nós que fazemos o grupo Abobrinhas. Siga em paz, Gilmar". 
  • Jornalista Arlen Medina Néri - Na segunda dose da Coronavac, minha mãe homenageou um querido que se foi hoje. #gilmardecarvalho.
  • Jornalista Angélica Martins - Mais uma notícia que nos abala".
  • Secretário chefe da Casa Civil do Ceará, Chagas Vieira - Que notícia triste! Gilmar de Carvalho foi meu professor na UFC. Um grande talento e de um coração enorme".
  • Jornalista Mário Kempes - Um dia triste para a comunicação cearense. Morreu o Professor Gilmar de Carvalho! Uma das maiores referências no Jornalismo de todos os tempos!
  • Jornalista Hébely Rebouças - Penso no Gilmar e lembro dele, já aposentado, chegando à UFC com aquela calça jeans, a bolsa a tiracolo e os livros nas mãos de sempre. Não parava quieto nem deixava de inventar tema pra pesquisar, livro pra escrever... Ainda tinha muito a contribuir. E poderia ter sido vacinado".
  • Pesquisador Pedro Brandão - 'No Ceará o povo adora chamar os outros de macho véi. Não bastasse xingar de macho, ainda xinga de véi'. Que as suas conversas com Patativa sejam ótimas conversas, Professor Gilmar. Tenho muito orgulho de dizer que fui seu aluno. Obrigado por tudo, professor".
  • Professor Fernando Elpídio - Gilmar de Carvalho descansou. Uma das mentes mais brilhantes, criativas e leves que já conheci. Foi meu professor e orientador da UFC. Quantas conversas pelos corredores da Universidade, quantos ensinamentos, quantas percepções ricas da vida. Que perda irreparável". 
  • Jornalista Delânia Azevedo Cavalcante - Não fui aluna de Gilmar de Carvalho na sala de aula! Fui aluna do pátio da Comunicação, das rodas de conversas naturais que se formavam ao seu redor! Pra mim era tão inteligente que eu não tinha capacidade de trocar! Só ouvir! E sorver seu humor, seu amor por nossa cultura popular, pelo nosso Ceará! E hoje acordo com a triste notícia de que essa doença dos ignorantes, dos boçais, levou a sabedoria para outro plano! A tristeza cede ao imaginar Gilmar sendo recebido por um cortejo de violeiros, mestres de folguedos, rabequeiros, bordadeiras, sineiros, cordelistas, aboiadores, cabaçais, repentistas e poetas! Já imagino uma prosa entre ele e Patativa! Já imagino muita arte no céu!

  • Jornalista Paulla Pinheiro - Vou sentir saudade demais. Na minha vida, você foi muito mais que um professor. Você foi um amigo querido, sempre presente. Te amo".
  • Amigo Marcos Luiz Melo - Mais um enorme amigo nos deixa por conta da 'gripezinha'. Perdemos, aos 72 anos, o brilhante Gilmar de Carvalho. Professor-Doutor, Pesquisador, Jornalista, Publicitário, Escritor, uma mente brilhante que deixa essa dimensão. Suba em paz grande amigo".
  • Jornalista Evilazio Bezerra - Domingo amanheceu com raiar de desolação com a triste e devastadora perda do jornalista Gilmar de Carvalho, ficamos órfãos de sua valorização com a história e cultura cearense. Tenha o descanso merecido professor e siga na luz eterna".
  • Jornalista Edvaldo Filho - Mais um domingo triste. Um mestre se vai. Quantas risadas, quantos ensinamentos, quanta saudade. É, Gilmar, hoje não terei palavras pra falar da tristeza que sinto. Vai na Paz e na Luz, irmão".
  • Jornalista Dalwton Moura - Nosso querido professor partiu. Mais uma vitima do genocídio. Mais uma morte evitável. Se tivéssemos um mínimo de dignidade e cuidado e respeito à vida neste País. Um crime contra a humanidade. Um crime que precisa parar. Impossível expressar o tamanho de sua contribuição à cultura e ao conhecimento. à vida de tantos que foram transformados por ele. Posso me alegrar de ter contado com seu apoio nos melhores momentos e nos mais difíceis, angustiantes e solitários. Me entristeço por ter retribuído tão pouco, diante de tanta sensibilidade, cuidado, generosidade, humanidade. Me enterneço em ter contado com sua presença e confiança. Assim como inúmeras pessoas a quem sempre ajudou. Nosso querido professor. Seguira conosco. Sempre. Nosso abraço a Dodora, Francisco, a todos que lutaram tanto, a todos os profissionais de saúde que batalharam imensamente, a todos os amigos, colegas e alunos. Gilmar de Carvalho, presente!
  • Jornalista e jurista Carmen Pompeu - Mais um rosto conhecido levado por esse maldito vírus. Professor Gilmar era um ser humano incrível. Foi meu professor de Publicidade, no Curso de Comunicação Social, na UFC. De voz sempre mansa, quanto mais alto a turma conversava em suas aulas mais ele baixava o timbre. Era assim que ele se fazia ouvir. Um gentleman. Depois de formada, vez ou outra, eu o encontrava nos meus passeios pelo Centro de Fortaleza. Andar tão suave quanto a voz. Obrigada por tudo, professor!
  • Professora e jornalista Kamila Fernandes - Acordo com a notícia da morte do meu querido professor Gilmar de Carvalho. Mais uma perda pra Covid. Gilmar foi um gigante pra cultura, pra academia, mas também como ser humano, sempre com grandes conselhos e excelentes conversas. Que tristeza".
  • Professor e jornalista Edgard Patrício - E pensar que chegamos a ter alguns encontros pra discutir um projeto sobre Cordel... Conviver com Gilmar de Carvalho é uma maneira permanente de se surpreender!! Em qualquer dimensão que esteja chegando, que se arme um baita tempo 'bunito pra chover', pra que ele se sinta confortável (será??!!)  em suas novas paragens!
  • Jornalista e professor José Anderson Freire Sandes - Muito triste Jornalista. Gilmar um colaborador intenso do Caderno 3 do Diário do Nordeste durante tantos anos. Domingo triste".
  • Jornalista Silvia Goes - Um domingo que amanhece triste com a mudança de plano do nosso querido professor, pesquisador e jornalista Gilmar de Carvalho. Gilmar tinha a cara da UFC, da cultura popular, do humor, da alegria e do encontro. Sempre quando nos deparávamos em qualquer lugar, ele já ia dizendo: “ te gosxxxxxto (assim mesmo, cheio de xis) Silvia Goes. No que eu respondia prontamente: também de gosxxxto Gilmar de Carvalho. Daí pra frente, a conversa se desenvolvia e ele, sempre com sua generosidade intelectual, deixava um pouco do seu saber com a gente. Obrigada pelos ensinamentos e pelo que fez pela cultura cearense. Você fará falta, muita falta! 
  • Amiga Oneide Braga - Os aninhos lá no Céu devem te-lo recebido com um: TE GOSXXXXXXTO MUITO!!!
  • Jornalista Danielle Campos - Tão rico em saberes, tão generoso conosco. Muita gratidão ao nosso mestre. Vá em paz, amigo". 
  • Jornalista Isabela Lopes Martin - Cursava o 3º semestre de Jornalismo na UFC quando fui aluna do professor Gilmar na cadeira de publicidade  e propaganda. No fim do semestre passou um trabalho. Não lembro o tema. Mas a introdução ficou bonita, sinalizava um trabalho de nível. Ao recebê-lo corrigido, uma breve observação escrita a punho que, em outras palavras, dizia o seguinte: ‘trabalho prometeu mas não entregou, não teve fôlego’. Nunca esqueci da lição que recebi envergonhada. Já da nota não lembro, não importa.  Rigoroso, com propriedade, sobrava-lhe conhecimento da coisas da cultura, dos patativas. Gilmar deve virar um encantado e encantar por outras bandas “sertão-celestes”. Siga em paz, professor".
  • Professora Eleuda Carvalho - Perdemos um mundo de alegria inteligência cultura arte .... perdemos um sertão um ser tão incrível generoso repartidor de maravilhas... dramaturgo ensaísta pesquisador professor jornalista ficcionista genial... o ouvido alerta à voz do povo à voz de todas e todos....  ah aquela vez no Juazeiro sagrado merendando um doce no bar de Zé de Dedice! calou-se o atento escutador de patativas e pássaros encantados da cultura sertânica das mil e uma noites...  nunca vou agradecer totalmente sua presença luminosa confortante em dois momentos fundamentais da minha vida, o mestrado e o doutorado, você meu defensor nas duas bancas! A do doutorado na UFSC!!! Na hora h você vem de Fortaleza a Floripa trazendo umas fitas do Padre Cícero, que compartilhou com os presentes... e aí eu sabia que tinha conseguido. Grata por tudo mestre Gilmar de Carvalho".
  • Jornalista Maria Eugênia Brasil - Um ícone. Uma estrela de maior grandeza! Que triste".
  • Jornalista e pesquisador Marcelo Bonavides - Fiquei sabendo, agora há pouco, do falecimento do Professor Gilmar de Carvalho.  Ele também era Pesquisador da Cultura Cearense e Jornalista, além de ser uma das pessoas mais cultas que já conheci, com uma bagagem cultural imensa e indispensável à nossa história. Lembro, que fui apresentado a ele por Anna Maria Kieffer e, em 2009, quando estava me formando em Jornalismo (na Faculdade Integrada do Ceará-FIC com o tema Teatro Revista, em quatro de dezembro de 2009, onde participei -Lauriberto Braga da banca de Marcelo Bonavides, ao lado do grande Gilmar de Carvalho, fui até a UFC convidá-lo para participar da banca que avaliaria minha monografia. Eu, um simples estudante, diante de um de nossos maiores intelectuais, fiz o convite. Ele aceitou na hora e foi muito atencioso e, como sempre, de uma Educação admirável. Desde então, tornamo-nos amigos e, sempre que nos encontrávamos, falávamos sobre nossas pesquisas. As últimas vezes que o encontrei foi no Museu do Ceará, em 2017, e por ocasião da defesa da monografia de meu amigo e colega Edmilson Teixeira, hoje Historiador, em 2018.
  • Deputado estadual Renato Roseno (Psol) - A morte de Gilmar de Carvalho é uma perda inestimável para a cultura e para a intelectualidade cearense. Jornalista, publicitário, escritor e professor, ele foi um dos nossos grandes pensadores e deixa como legado uma obra fundamental para a compreensão da nossa arte popular".
  • Deputado estadual e historiador Acrísio Sena (PT) - Luto na cultura cearense. Consternado com o falecimento do professor Gilmar de Carvalho, doutor da Comunicação, mestre da Cultura, pensador de nossa cearensidade. Nosso Estado perdeu hoje um árduo defensor das nossas mais profundas memórias e tradições. Abraço solidário aos parentes e amigos!
  • Ex-deputado estadual Antônio Carlos de Freitas Souza (PT) - Estação Vila Peri. No metrô com Gilmar de Carvalho. Era sempre final de tarde. Eu não tinha intimidade com o genial professor Gilmar de Carvalho (mais uma vítima do covarde-17 e do Covid-19). Mas quase sempre no final de tarde voltando da labuta e ele também, o via no metrô. E o via evidentemente com aquela admiração de quem admira toda a genialidade em um corpo e um cérebro. Eu embarcava na José de Alencar, ele no Benfica (perto da sua casa UFC). Sua indefectível sacola, cheia de livros e cultura, igual sua mente. O metrô lotado, e lá Gilmar em meio a pequena multidão de operários, comerciantes, jovens, idosos, enfim, do nosso povo, do seu povo. Silente, observada tudo. Quantos pensamentos e ideias naquela cabeça privilegiada. Ver isso tudo, pra mim já era uma emoção, um aprendizado. A simbiose entre o gênio e seu mundo, não seu objeto, mas seu mundo. Nosso mundo. " Estação Vila Peri", anunciava a voz no autofalante da composição, e lá descia Gilmar, seu pequeno corpo e sua mente sem tamanho, que estava ali, e em todos os lugares. Nos maracatus, nas e nos indígenas, negras, negras, Patativa, Cariri, sertões, litorais, serras e em todos os lugares das terras patativenses que traduziu como ninguém. Boa viagem professor, aquelas nunca mais, mas as propiciadas pelo seu fecundo legado de genialidade serão eternas para quem ama esse chão sagrado chamado Ceará.
  • Jornalista Pompeu Macário Batista - Morte na cultura e no jornalismo. Morreu Gilmar de Carvalho. DIANTE do fato de que era GENTE, seus predicados intelectuais pouco nos dizem respeito. Só a saudade do sobralense querido.
  • Jornalista Augusto César Benevides - GILMAR? Não pode ser!!!  Mas é verdade. O Covid assassino levando mais um grande amigo: Gilmar de Carvalho!!!! Jornalista, professor, escritor, pesquisador e muito mais. Começamos juntos no jornal O Estado. Por último coordenou meu livro sobre a TVC. Um gênio a quem o Ceará muito deve. Que Deus dê a ele o melhor".
  • Jornalista e radialista Nonato Albuquerque - Luto na Cultura. Sai de cena, o professor Gilmar de Carvalho, um dos maiores no mês da pesquisa da nossa Cultura. Vitimado pela Covid-19".
  • Jornalista Joanice Sampaio - Sem acreditar na partida de Gilmar de Carvalho. Tive a grata satisfação em trabalhar com ele no Ceará das Rabecas, do qual era curador. Também somos um dos autores do livro Pérolas do Centauro, que reúne textos sobre a música cearense. Que Deus o receba em seu amor e luz".
  • Professor e jornalista Alberto Perdigão - Choram a Folkcomunicação, o Jornalismo, a Publicidade, a Antropologia Cultural. Choram o gemido das rabecas, a cantiga dos folhetos, o arranhado da goiva no taco e o converseiro da tipografia São Francisco. Choram os afetos das ruas do Juazeiro, as memorias de Noza, Nino, Cícera e das Cândidos. Choram cenas de acontecidos, bichos fantásticos, dramas e máscaras. Choram o barro e a umburana de cheiro. Choram o Museu de Arte, o Passeio Público, os passos nas sombra das calçadas. Choram a calça jeans, o xadrez da camisa impecável, a bolsa de couro assim atravessada. Muito obrigado, Gilmar de Carvalho. Pena que você está indo tão cedo. Ainda tinha uns docinhos de Sobral e uns licores de Viçosa. Ainda havia muitos sorrisos e todos os abraços. Obrigado por me ajudar sempre, nunca ouvi a palavra não sair da sua fala mansa e acolhedora. Muito obrigado por ensinar a tanta gente com o exemplo o sentido da humildade, da serenidade, da coerência e da correção. Ontem eu rezava por você, meu amigo, e torcia muito. Hoje só lhe posso oferecer um pouco do meu choro e todo o meu aplauso. (Xilo de Abraão Batista, do livro Publicidade em Cordel, de Gilmar de Carvalho - Maltese, 1994).
  • Rede Folkcom - A Rede de Estudos e Pesquisa em Folkcomunicação (Rede Folkcom) em nome de seus inúmeros pesquisadores e pesquisadoras; Diretoria; estudantes e toda comunidade acadêmica vem prestar condolências aos familiares, aos amigos e às amigas; aos ex-alunos e às alunas, do querido professor Gilmar de Carvalho que partiu vítima da Covid 19,  na capital cearense. Professor Gilmar (Sobral- CE 1949 – Fortaleza- CE 2021) deixa importante legado e pesquisas sobre a cultura cearense refletida à luz da cultura popular quando este tema ainda era pouco investigado no âmbito acadêmico. Deixa importantes livros: “Patativa do Assaré: um Poeta Cidadão”; “Publicidade Em Cordel - o Mote do Consumo”;  “Poetas do povo do Piauí: A mídia cordel”; “A Xilogravura de Juazeiro do Norte”; “A Lira do Poeta Expedito”; “A Televisão no Ceará (1959/ 1966) dentre tantos outros. Organizou “Cordel Canta Patativa” e era um entusiasta da arte, da cultura e do sertão. Segundo o blog do jornalista cearense Eliomar Lima o professor Gilmar doou arquivos de sua biblioteca pessoal para o Acervo do Escritor Cearense (AEC) onde estão guardados documentos, livros, fotografias, jornais que fizeram parte de seu material de pesquisa. Ano passado, junho de 2020, Gilmar de Carvalho informou seu mais novo livro: “Poéticas da voz: aboios, benditos, cantoria, cordel, emboladas, loas, saraus, torém, trovas” cujo lançamento estaria previsto para esse ano de 2021. https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/verso/novo-livro-do-pesquisador-cearense-gilmar-de-carvalho-mergulha-nas-poeticas-da-voz-1.2961166 Gilmar era doutor em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP. Partiu e deixa órfãos toda uma comunidade desde a academia ao povo do sertão!
  • Professora Geovana Cartaxo de Arruda - Muito triste com a perda do professor Gilmar de Carvalho. Um ser humano muito especial. Promoveu e investigou nossa Cultura e Costumes. As rabecas. O Cordel. E toda beleza cultural do nordeste não passava despercebida por seus olhos brilhantes. Tive a alegria de convida-lo a ser homenageado com a Medalha Mario de Andrade por ocasião dos 80 anos do Iphan. Lembro da conversa no café do passeio público... 
  • Amigo José Emygdio de Castro - Fui colega de infância dele, no Externato Cristo Rei, e ele sempre se distinguiu na classe".
  • Comunicador Augusto Abreu - Domingo muito triste para a Comunicação e a Cultura cearenses com a partida do guerreiro  Gilmar de Carvalho, vítima da Covid-19. Perdemos um grande intelectual e um ser humano de personalidade marcante. A minha admiração pelo Gilmar começou  em 1985 quando entrei no Balaio. Ele foi o primeiro presidente do grupo, eu fui o terceiro. Depois disso tivemos muitos encontros... Descanse em paz, meu amigo. Vou sentir muito a falta da sua generosidade e sabedoria".
  • Radialista Cliff Villar - Viva! Gilmar de Carvalho foi e é um guardião da cultura popular nordestina".
  • Cineasta Roberto Bomfim Feitosa - Amigo, mestre e meu professor... Gilmar de Carvalho nos deixou. Um dos maiores estudiosos da cultura popular do nosso Ceará. Vamos sentir sua falta. Vá em paz".
  • Jornalista Ciro Câmara - Quando pisei na UFC só tinha uma referência: Gilmar de Carvalho. Minha admiração por ele começou muito antes, com os livros dele sobre Patativa do Assaré, que chegavam às minhas mãos constantemente. Foi o Patativa e o fato de eu ser de Assaré o que nos conectou de cara. Virou amigo, orientador e grande incentivador na publicação de livros. "Minha meta não é lançar um livro por mês. É lançar um livro por dia", dizia, com aquele ar sério de humor britânico. Na última vez em que nos vimos, eu saía de uma reunião no @cineteatrosaoluiz e ele estava no foyer, acompanhando uma apresentação cultural de um projeto que ele organizava. Era mais de meio-dia. "Olha o Vassoura!", exclamou. Ao lado da @maria__sabina, era o único a me chamar, ainda hoje, pelo apelido dos tempos de cabeludo. Agora, a saudade se revela nos e-mails que nunca tive a audácia de apagar, nas dedicatórias nos livros dele e na memória de alguém cujo coração não cabia em si. Obrigado, por tudo, GildeCar".
  • Jornalista Ethel de Paula - Gilmar de Carvalho é nosso Guimarães Rosa, nosso Câmara Cascudo, nosso Patativa. Encantou-se o maior dos encantadores".
  • Chargista Carlus Campos - Viva Gilmar de Carvalho!

  • Pintura do amigo Fernando França baseada em uma foto de José Rosa Filho, dado de presente a Gilmar de Carvalho:

Em aberto - Neste 2021 Gilmar de Carvalho lançaria o Livro “Poéticas da voz – Aboios, Benditos, Cantoria, Cordel, Emboladas, Loas, Saraus, Torém, Trovas”. Fica a sugestão para lançamento por parte da Secretaria de Cultura do Ceará.

Comentários

Entre em contato conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *

Notícias mais acessadas do mês

Morre radialista Will Nogueira

Morreu vítima de covid-19, na manhã desta segunda-feira (5), o radialista cearense Will Nogueira ( Francisco de Assis Nogueira Bastos), aos 60 anos . Will Nogueira estava internado, no Hospital São Carlos-Fortaleza, intubado há dez dias e nesta segunda-feira não resistiu as complicações da covid-19. O velório e sepultamento são restritos a familiares, na tarde desta segunda-feira no Cemitério Jardim Metropolitano (4º Anel Viário no Coaçu-Eusébio) Formado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Ceará (UFC), Will Nogueira (foto) iniciou no Rádio na década de 1980 pela Rádio Iracema AM 1.300, no Programação Geração 80.  Trabalhou durante 36 anos no Sistema Verdes Mares SVM), dirigindo a Rádio FM 93. Também fez carreira na TV, atuando como apresentador dos programas Terral, na TV Ceará (ex-TV Educativa), e Sábado Alegre, na TV Diário.  Ultimamente depois da aposentadoria da FM 93, em 2015, era consultor em programação de Rádio e TV.   Por muitas vezes troquei ideias sobre Rádio

Ednardo está internado com uma infecção bacteriana

Soube, na manhã desta segunda-feira (31), que o cantor Ednardo (foto) está internado, numa Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional da Unimed Fortaleza. Ednardo tenta se curar de uma infecção bacteriana. O cantor de 75 anos está internado há uma semana. Filha de Ednardo, atriz e cantora J úlia Limaverde - " Nosso amado pai e querido artista Ednardo está agora no hospital se recuperando de complicações com uma infecção. Ele não está com Covid nem corre risco de vida. De todas as formas agradecemos de coração o envio de todas as energias positivas para sua pronta recuperação". Deputado estadual Renato Roseno (Psol) - " Recebemos a informação pelas redes sociais de que o poeta Ednardo está internado na UTI de um hospital em Fortaleza. Estamos na torcida por sua pronta recuperação. Ednardo é um Patrimônio Vivo da nossa Música". Vereador Evaldo Lima (PCdoB) - " Ednardo resiste como as suas mais lindas canções sobre as coisas do Ceará.

Familiares de Iraguassu Teixeira pedem doação para instituições de caridade no lugar de coroas de flores

Morreu no início da noite desta segunda-feira (22) aos 80 anos, o ex-vereador José Iraguassu Teixeira. Este estava internado há 15 dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional Unimed Fortaleza com complicações da Covid-19. A família do Doutor Iraguassu informa que o velório acontece no Complexo Funerário Ethernus (Rua Padre Valdevino) com missa de corpo presente às dez da manhã e cremação às 11 da manhã desta terça-feira (23). O velório, missa e cremação são restritos aos familiares. A família solicita que ao invés de enviar coroas de flores façam um doação do valor a uma instituição de caridade de Fortaleza. Iraguassu Teixeira Filho - Hoje encerra-se a jornada do meu pai na terra. Façam uma oração por ele. Com profundo pesar informamos a partida do médico e ex-vereador de Fortaleza Doutor Iraguassú Teixeira, aos 80 anos, na noite desta segunda-feira (22), vítima de complicações causadas pela Covid-19. Iraguassu Teixeira estava internado na UTI do Hospital Regional

Morre forrozeiro Dedim Gouveia

Informa site Curuzinho de Mel: - O forrozeiro Dedim Gouveia (foto), de 61 anos, morreu por complicações da covid-19, nesta segunda-feira (19). Ele estava internado no Hospital de Messejana, em Fortaleza há oito dias.  - Última atualização da equipe do cantor Dedim Gouveia, na sexta-feira (16), apontou chances de recuperação. Ele chegou a utilizar oxigênio no tratamento e também a ser transferido para um leito semi-intensivo. - Amigos forrozeiros do artista, como Taty Girl e Nonato Lima comentaram a morte e prestaram homenagem nas Redes Sociais". José da Silva (Dedim Gouveia) nasceu, em Serra da Faísca, em Redenção, no Ceará, em primeiro de março de 1960. Era conhecido como Rei do Xote. Em mais de 40 anos de carreira gravou três LPs, 13 CDs e cinco DVs. Deixa órfãos quatro filhos. Sepultamento - Informa Amon Marques sobre o sepultamento do corpo de Dedim Gouveia: -  Hoje, por volta da meia noite, recebi uma ligação do secretário de Cultura de Fortaleza, Elpídio Nogueira, atendendo

Verdinha vai para 92.5 FM a partir de 5ª feira

A migração da Verdinha AM 810 para Verdinha FM 92.5 será a partir desta quinta-feira (seis de maio). Quem estreia a nova programação voltada mais para o Radiojornalismo é Paulo Oliveira (foto) antes das cinco da manhã. Os ancoras são ainda João Inácio Júnior, Tom Barros, Gleudson Rosa, Silvino Neves, Antero Neto, Daniela de Lavor, Elon Nepomuceno e Rita Damasceno. A Verdinha foi fundada em 16 de julho de 1956 por Assis Chateaubriand. Em 1962 foi comprada por Edson Queiroz, ainda na frequência AM 1.410. Depois mudou para 810 onde permanece até quarta-feira (cinco de maio). Portanto perto de completar 65 anos no ar, a Verdinha migra do AM 810 e para o FM 92.5. Dial - Confira como ficará o dial das 49 FMs da Grande Fortaleza com a migração das AMs, conforme levantamento do site Mídia Cearense: 88.1  (classe C) - Rádio Aratanha de Pacatuba. 88.3  (classe C) - reservado para migrante AM do Eusébio. 88.9  - Jangadeiro FM. 89.3  (classe A4) - Rádio Iracema. 89.9  - 89 FM. 90.3  (classe A2) -

Postagens mais visitadas deste blog

Morre radialista Will Nogueira

Morreu vítima de covid-19, na manhã desta segunda-feira (5), o radialista cearense Will Nogueira ( Francisco de Assis Nogueira Bastos), aos 60 anos . Will Nogueira estava internado, no Hospital São Carlos-Fortaleza, intubado há dez dias e nesta segunda-feira não resistiu as complicações da covid-19. O velório e sepultamento são restritos a familiares, na tarde desta segunda-feira no Cemitério Jardim Metropolitano (4º Anel Viário no Coaçu-Eusébio) Formado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Ceará (UFC), Will Nogueira (foto) iniciou no Rádio na década de 1980 pela Rádio Iracema AM 1.300, no Programação Geração 80.  Trabalhou durante 36 anos no Sistema Verdes Mares SVM), dirigindo a Rádio FM 93. Também fez carreira na TV, atuando como apresentador dos programas Terral, na TV Ceará (ex-TV Educativa), e Sábado Alegre, na TV Diário.  Ultimamente depois da aposentadoria da FM 93, em 2015, era consultor em programação de Rádio e TV.   Por muitas vezes troquei ideias sobre Rádio

Ednardo está internado com uma infecção bacteriana

Soube, na manhã desta segunda-feira (31), que o cantor Ednardo (foto) está internado, numa Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional da Unimed Fortaleza. Ednardo tenta se curar de uma infecção bacteriana. O cantor de 75 anos está internado há uma semana. Filha de Ednardo, atriz e cantora J úlia Limaverde - " Nosso amado pai e querido artista Ednardo está agora no hospital se recuperando de complicações com uma infecção. Ele não está com Covid nem corre risco de vida. De todas as formas agradecemos de coração o envio de todas as energias positivas para sua pronta recuperação". Deputado estadual Renato Roseno (Psol) - " Recebemos a informação pelas redes sociais de que o poeta Ednardo está internado na UTI de um hospital em Fortaleza. Estamos na torcida por sua pronta recuperação. Ednardo é um Patrimônio Vivo da nossa Música". Vereador Evaldo Lima (PCdoB) - " Ednardo resiste como as suas mais lindas canções sobre as coisas do Ceará.

Familiares de Iraguassu Teixeira pedem doação para instituições de caridade no lugar de coroas de flores

Morreu no início da noite desta segunda-feira (22) aos 80 anos, o ex-vereador José Iraguassu Teixeira. Este estava internado há 15 dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional Unimed Fortaleza com complicações da Covid-19. A família do Doutor Iraguassu informa que o velório acontece no Complexo Funerário Ethernus (Rua Padre Valdevino) com missa de corpo presente às dez da manhã e cremação às 11 da manhã desta terça-feira (23). O velório, missa e cremação são restritos aos familiares. A família solicita que ao invés de enviar coroas de flores façam um doação do valor a uma instituição de caridade de Fortaleza. Iraguassu Teixeira Filho - Hoje encerra-se a jornada do meu pai na terra. Façam uma oração por ele. Com profundo pesar informamos a partida do médico e ex-vereador de Fortaleza Doutor Iraguassú Teixeira, aos 80 anos, na noite desta segunda-feira (22), vítima de complicações causadas pela Covid-19. Iraguassu Teixeira estava internado na UTI do Hospital Regional

Morre forrozeiro Dedim Gouveia

Informa site Curuzinho de Mel: - O forrozeiro Dedim Gouveia (foto), de 61 anos, morreu por complicações da covid-19, nesta segunda-feira (19). Ele estava internado no Hospital de Messejana, em Fortaleza há oito dias.  - Última atualização da equipe do cantor Dedim Gouveia, na sexta-feira (16), apontou chances de recuperação. Ele chegou a utilizar oxigênio no tratamento e também a ser transferido para um leito semi-intensivo. - Amigos forrozeiros do artista, como Taty Girl e Nonato Lima comentaram a morte e prestaram homenagem nas Redes Sociais". José da Silva (Dedim Gouveia) nasceu, em Serra da Faísca, em Redenção, no Ceará, em primeiro de março de 1960. Era conhecido como Rei do Xote. Em mais de 40 anos de carreira gravou três LPs, 13 CDs e cinco DVs. Deixa órfãos quatro filhos. Sepultamento - Informa Amon Marques sobre o sepultamento do corpo de Dedim Gouveia: -  Hoje, por volta da meia noite, recebi uma ligação do secretário de Cultura de Fortaleza, Elpídio Nogueira, atendendo

Verdinha vai para 92.5 FM a partir de 5ª feira

A migração da Verdinha AM 810 para Verdinha FM 92.5 será a partir desta quinta-feira (seis de maio). Quem estreia a nova programação voltada mais para o Radiojornalismo é Paulo Oliveira (foto) antes das cinco da manhã. Os ancoras são ainda João Inácio Júnior, Tom Barros, Gleudson Rosa, Silvino Neves, Antero Neto, Daniela de Lavor, Elon Nepomuceno e Rita Damasceno. A Verdinha foi fundada em 16 de julho de 1956 por Assis Chateaubriand. Em 1962 foi comprada por Edson Queiroz, ainda na frequência AM 1.410. Depois mudou para 810 onde permanece até quarta-feira (cinco de maio). Portanto perto de completar 65 anos no ar, a Verdinha migra do AM 810 e para o FM 92.5. Dial - Confira como ficará o dial das 49 FMs da Grande Fortaleza com a migração das AMs, conforme levantamento do site Mídia Cearense: 88.1  (classe C) - Rádio Aratanha de Pacatuba. 88.3  (classe C) - reservado para migrante AM do Eusébio. 88.9  - Jangadeiro FM. 89.3  (classe A4) - Rádio Iracema. 89.9  - 89 FM. 90.3  (classe A2) -