Pular para o conteúdo principal

Futricas Cearenses



Noite ilustre para o talento cearense. Nesta sexta-feira (4), o Theatro José de Alencar foi palco da 50ª edição do Troféu Sereia de Ouro. 

O desembargador Cid Marconi, o médico Darival Bringel , o cartunista Mino Castelo Branco e o empresário Ricardo Cavalcante são os novos agraciados com a comenda. 

Agora, eles integram o rol de 200 prestigiados com o prêmio do Sistema Verdes Mares, do Grupo Edson Queiroz.

Após o período turbulento da pandemia de Covid-19, a cerimônia voltou a acontecer de forma presencial, reunindo personalidades de nossa terra. É, portanto, um ano especial da homenagem idealizada pelo chanceler Edson Queiroz e dona Yolanda Queiroz em 1971. O pioneirismo torna a honraria a mais antiga e cobiçada do Ceará, sinônimo de valoroso prestígio e alcance.

Não à toa, o objetivo do Troféu é encarado como missão: reverenciar quem se destacou em diferentes setores de atuação, contribuindo para o desenvolvimento do Ceará, do Brasil e do mundo. Um esmerado dever institucional capaz de distinguir e divulgar a jornada de pessoas notabilizadas pelo incansável esforço individual e superação de limites. São exemplos de conduta, inspiradores de novas jornadas para presentes e futuras gerações.


Desembargadora Nailde Pinheiro Nogueira; o desembargador Cid Marconi; a empresária Paula Queiroz Frota; o cartunista Mino Castelo Branco; o Presidente do Conselho Administrativo do Grupo Edson Queiroz, Igor Queiroz Barroso; o empresário Ricardo Cavalcante; o médico Darival Bringel; e o vice-prefeito de Fortaleza, Élcio Batista-Foto: Fabiane de Paula

São também continuadores de trajetórias com capacidade de prover ao Estado ainda mais feitos e conquistas. A comenda torna-se, portanto, tanto condecoração quanto estímulo. Ao mesmo tempo que reconhece a dedicação do fazer criativo e laboral, igualmente pavimenta novas estradas, deixando com que a vontade de ir além possa se tornar realidade e direção para os que resguardam o prêmio.

A desembargadora Nailde Pinheiro Nogueira entregou o Troféu ao desembargador Cid Marconi; o vice-prefeito de Fortaleza, Élcio Batista, ao médico Darival Bringel; a empresária Paula Queiroz Frota ao cartunista Mino Castelo Branco; e o Presidente do Conselho de Administração do Grupo Edson Queiroz, Igor Queiroz Barroso, ao empresário Ricardo Cavalcante. Especialmente para a solenidade, uma orquestra foi formada por músicos da Orquestra da Unifor.

Igor Queiroz Barroso enfatizou no discurso as particularidades do ofício de cada homenageado e o compromisso do Grupo Edson Queiroz e do Sistema Verdes Mares em fazer um conteúdo útil à sociedade por meio de um jornalismo profissional e plural.

"[Temos] o compromisso de tornar o Ceará e o Nordeste vistos com admiração por todo o país, como assim prognosticou Edson Queiroz na fundação do SVM há cinco décadas. Visão que permanece sendo o norte de nossas iniciativas".

Por sua vez, o empresário Ricardo Cavalcante, representante dos agraciados no discurso, destacou o fato de o Troféu Sereia de Ouro trazer, na essência, um conjunto de princípios morais, éticos e comportamentais que nortearam a trajetória do chanceler Edson Queiroz. "Sua criação foi um ato de generosidade e nobreza para com aqueles que têm a graça de recebê-lo. Uma cortesia digna somente dos grandes homens".

>> Discurso de Igor Queiroz Barroso, Presidente do Conselho de Administração do Grupo Edson Queiroz



Igor Queiroz Barroso, Presidente do Conselho Administrativo do Grupo Edson Queiroz-Foto: Thiago Gadelha

Boa noite a todas e todos,

inicio minhas palavras cumprimentando a Governadora do Ceará, Izolda Cela, e o Prefeito de Fortaleza, José Sarto. Em nome deles cumprimento a todas as mulheres e homens públicos aqui presentes.

Cumprimento as minhas amadas tias Paula, Lenise e Renata, e demais membros do conselho de administração do Grupo Edson Queiroz. Em nome deles cumprimento a todos os empresários e amigos que nos dão a honra de suas presenças.

Aproveito para cumprimentar também a todos os que fazem o Grupo Edson Queiroz, em nome do nosso presidente executivo, Carlos Rotella, e a todos que fazem o Sistema Verdes Mares através do Ruy do Ceará. Esta noite memorável é fruto do trabalho intenso de um enorme time de profissionais a quem também saúdo e sou grato pela excepcional contribuição no dia a dia de fazer um dos maiores conglomerados empresariais do país.

Quero fazer um cumprimento especial também à minha esposa, Aline, parceira de todas as horas. Em nome dela, saúdo a todos da minha família Queiroz: este troféu nos traz de volta a um saudoso passado, capaz de nos reconectar com as nossas raízes e fortalecer nossos laços.

Mas cumprimento de modo especial os agraciados. Personalidades singulares na missão de fazer um Ceará mais respeitado, mais justo, mais livre e mais promissor. Gente com um interesse real na melhoria de vida do nosso povo a partir do desenvolvimento industrial, da justiça, da saúde e das artes.

O Troféu Sereia de Ouro desta noite é simbólico. Digo isso por dois motivos: primeiro porque trata-se de um reinício, após dois anos do intenso desafio da pandemia. Um tempo de reclusão, de perdas irreparáveis, de silêncio e dor. Mas também um tempo de aprendizado e autoconhecimento. Nos reinventamos e nos fortalecemos com o exercício diário do altruísmo, da solidariedade e da empatia.

E o segundo motivo que faz desta noite especial é o fato de tornarmos a fazer a solenidade, criada pelos meus avós Edson e Yolanda em 1971, cujo objetivo é celebrar, reverenciar e reconhecer o trabalho e vida de pessoas icônicas de nossa sociedade. Noites memoráveis como esta que também vivemos sob a condução de meu saudoso tio, Airton Queiroz.

Hoje tenho a honra de presidir o conselho de administração do nosso Grupo com a missão de, nesta noite, ciceronear e aplaudir nossos homenageados.

Na Indústria, o mundo empresarial reconhece com esta comenda a força, a inteligência e o espírito prestativo e agregador de Ricardo Cavalcante. Um dileto amigo, um parceiro de todas as horas. Um aliado dos negócios e um aguerrido parceiro nos desafios cotidianos desse emaranhado complexo que vivemos no Brasil. Ricardo é do tipo que pensa grande e faz acontecer. É íntegro nas relações, dinâmico no trabalho e humilde para, assim, fazer a diferença liderando a federação das indústrias do Ceará. Parabéns, Ricardo.

Já no Judiciário, quem faz a diferença é nosso agraciado Cid Marconi. Um magistrado, que dignifica o cargo que ocupa, busca o caminho do que é justo, com isonomia e cumprimento incondicional ao que diz a lei e a jurisprudência. Ele é sagaz, usa a tecnologia a favor do bom direito, com eficiência e eficácia. Cid Marconi tem um caminho profícuo na magistratura porque mantém o coração sereno em sua defesa dos ideais republicanos e a universalidade dos direitos fundamentais. Cid, você é um orgulho para cada um de nós, cearenses.

Na Saúde, o homenageado Darival Bringel fez o que há de melhor para quem possui o sistema Unimed. Empregou uma gestão consciente e ética fortalecendo a cultura humanizada, que é marca do plano de saúde que integra. Mas Darival também contribuiu para os que não fazem parte do sistema Unimed: mostrou ao resto do Brasil um modelo inovador de gestão em saúde, a partir da experiência iniciada e desenvolvida localmente. Extrapolou os muros da empresa com entrega de valor real para a vida do cidadão comum. Homenageá-lo nesta noite é uma honra para o Grupo Edson Queiroz.

Na Cultura, Mino é um clássico da nossa história recente. Um artista plural que traz um olhar sensível, um traço sofisticado e uma linguagem marcante em tudo o que faz. Certa vez, Mino me presenteou com uma de suas obras. Nela estava eu, esboçado em suas linhas e curvas, com a expressão de um garoto que nunca deixou de sonhar. Mino me emocionou e ali percebi, claramente, a vastidão do seu olhar poético. Mino escolheu a arte como forma de nos aproximar da vida. Minha mãe, Myra Queiroz, do céu e da eternidade celestial, se une a nós para lhe aplaudir.

Senhoras e senhores, finalizo minhas palavras destacando o compromisso do Grupo Edson Queiroz e do Sistema Verdes Mares em fazer um conteúdo sempre útil ao cidadão por meio de um jornalismo profissional plural, com ética, princípios editoriais sólidos e busca incessante pela verdade. Mas também o compromisso de tornar o Ceará e o Nordeste vistos com admiração por todo o país, como assim prognosticou Edson Queiroz na fundação do SVM há cinco décadas. Visão que permanece sendo o norte de nossas iniciativas.

Termino minhas palavras com uma frase de Santa Teresinha do Menino Jesus para refletirmos: “O mérito não consiste em fazer nem em dar muito. Mas antes em receber e em amar muito".

Deus abençoe a todos!

Muito obrigado!

>> Discurso do empresário Ricardo Cavalcante, representante dos quatro agraciados:


Boa noite a todos e a todas!

É com espírito de otimismo e crença no futuro que chego até aqui para compartilhar com todos vocês as emoções deste memorável encontro.
Para mim, a noite de hoje é de grande simbolismo. E tenho certeza de que também o é para os demais agraciados.
Afinal, compor o seleto grupo de homens e mulheres que receberam o Troféu Sereia de Ouro, que neste ano alcança a marca de 200 homenageados, significa bem mais que o reconhecimento de uma vida inteira dedicada ao trabalho.
Traduz valores essenciais à construção de uma sociedade mais justa, mais humana, fraterna e feliz, que é a razão maior da nossa existência como cidadãos.
Esse troféu traz em sua essência um conjunto de princípios morais, éticos e comportamentais, que nortearam a trajetória exemplar do seu idealizador, o saudoso chanceler Edson Queiroz.
Sua criação foi um ato de generosidade e nobreza para com aqueles que têm a graça de recebê-lo. Uma cortesia digna somente dos grandes homens.
Os pilares sobre os quais se sustenta o Troféu Sereia de Ouro, mesmo após 50 anos de sua criação, permanecem presentes no legado deixado pelo chanceler Edson Queiroz.
Legado aliás que, de tão sólido, segue em constante evolução, sob o olhar atento e competente daqueles que o sucederam.
No primeiro momento, com dona Yolanda Queiroz, sua eterna companheira que, de forma carismática, assumiu a responsabilidade pelo comando dos negócios, levando o Grupo a se tornar um dos maiores conglomerados empresariais do país.
E, nos últimos tempos, sob a liderança inovadora de seus jovens sucessores, a obra iniciada pelo doutor Edson segue cada vez mais forte, ocupando posições estratégicas nos diferentes mercados onde atua.
Mesmo diante das mudanças que vivenciamos nos últimos tempos, o pensamento e as ideias de Edson Queiroz seguem inspirando todos nós a continuarmos acreditando que somos capazes de fazer sempre mais e melhor.
Seu exemplo de vida nos mostra a importância de sonhar alto, e o valor do trabalho árduo, honesto e responsável, na busca pela realização dos nossos maiores sonhos.
Quero aproveitar este momento para, em meu nome e em nome dos amigos Cid Marconi, Darival Bringel e Mino Castelo Branco, agradecer a todos que contribuíram para este momento.
Fazer um agradecimento especial a toda a família Queiroz na pessoa do presidente do Conselho de Administração do grupo, meu amigo Igor Queiroz, por quem tenho grande respeito e profunda admiração.
Quero agradecer também a todos que fazem o Grupo Edson Queiroz, simbolizados na pessoa de seu presidente executivo, Carlos Rotella.
E um agradecimento particular àqueles que fazem o Sistema Verdes Mares de Comunicação, na pessoa do seu superintendente, Ruy do Ceará Filho.
Esta comenda ganha ainda mais relevância quando lemos as palavras de dona Yolanda Queiroz em uma edição anterior: “A galeria dos sereiados apresenta um perfil abrangente do caráter e da genialidade do povo cearense, podendo-se dizer que uma grande parte da história do Estado é traçada pelas realizações das personalidades detentoras do Troféu".
Vejam, amigos Cid Marconi, Darival Bringel e Mino Castelo Branco, quanta responsabilidade este momento nos impõe. Rogo a Deus para que sejamos dignos de seguir merecedores de tão relevante confiança.
-----------------
Meu amigo Cid Marconi, você tem uma história de vida impoluta, sempre pautada na ética, na moral e na defesa intransigente dos princípios legais.

São inúmeras as contribuições que tens dado para o ordenamento jurídico no Ceará, no Nordeste e no Brasil.

Ver o teu currículo, onde constam papeis de liderança nos mais diferentes fóruns, é motivo de orgulho para todos nós.

Os teus conhecimentos transcendem as questões jurídicas, dialogam com a lógica matemática, com as práticas políticas que exercestes, e as relações sociais que tão bem sabes conduzir.

Como se vê, meu caro Cid Marconi, a tua escolha não foi por acaso, és, de fato, digno de estar na galeria do agraciados com o troféu Sereia de Ouro.
------------------
Meu amigo Darival Bringel, você é muito mais que um competente médico e um eficiente gestor. Você tem feito da sua vida um exercício pleno de cidadania.

Senhor de um carisma único, de um comportamento extremamente agregador, e de uma visão alargada do futuro, Darival Bringel consegue envolver e cativar as pessoas para, de forma apaixonada, trabalharem ao seu lado, na construção de tudo aquilo que sonha e busca realizar.

Darival Bringel é um cidadão exemplar, e certamente faz jus a um lugar de destaque na galeria dos agraciados com o troféu Sereia de Ouro.
------------------
O meu querido amigo Mino Castelo Branco é um misto de razão e sensibilidade.

Sob a sua pena, uma página em branco é um universo de infinitas possibilidades. E, nela, deposita a sua arte com a leveza de um poeta, a sutileza de um escritor, a engenhosidade de um artesão, o compromisso de um jornalista e a criatividade de um cearense apaixonado por tudo o que faz.

A história do Mino tem um pouco da história de cada um de nós, cearenses. Inovador por natureza, suas criações foram pioneiras em noticiários de TV, nos quadrinhos impressos, nas tiras de jornais, nos descontraídos anúncios publicitários, nas elegantes marcas que criou.

O Mino se entregou por inteiro à realização do seu sonho maior de ser um artista múltiplo, diverso, diferente de tudo o que viu até então. E conseguiu!

O Troféu Sereia de Ouro, cuja arte original é de sua criação, certamente ganhará uma nova e exclusiva tela em sua rica galeria.
------------------
Ao refletir sobre a história de vida de tão geniais amigos, relembro a emoção sentida quando fui comunicado pelos amigos, Igor Queiroz e Ruy do Ceará, de que seria um dos agraciados.

Fiz uma viagem pela minha própria história em busca de razões que justificassem a distinção.

E, nessa busca, me reencontrei com os meus pais, Amarílio Cavalcante e Holandina Cavalcante, que animaram os meus primeiros passos e me ensinaram o verdadeiro significado do respeito ao próximo.

A propósito, quero aproveitar este momento para realçar a importância de minha querida mãe, Dona Holandina, aqui presente.

Essa grande mulher que, aos 98 anos, segue lúcida, ao meu lado, me inspirando em todos os meus passos.

Em seu nome saúdo as mães dos homenageados e de todos aqui presentes, para os quais peço um caloroso aplauso.

Ainda em busca de razões que justificassem esta homenagem, revi também o papel dos meus irmãos, com os quais aprendi sobre o real significado do companheirismo, da solidariedade e da verdadeira amizade.

Não foram poucos os amigos que fiz ao longo dessa minha caminhada. Sou grato a todos eles, indistintamente.

Retornei também ao aconchego do meu lar, onde a minha esposa Rosângela, o grande amor da minha vida, com seu apoio incondicional, sintetiza a importância da compreensão, do companheirismo e do incentivo mútuo.

Vislumbrei no amor dos meus filhos, Natalia, Ricardo e Vitor, que são a grande motivação para eu ter feito tudo o que fiz até aqui.

E, por fim, ao meu genro, Augusto, e à minha nora, Érica, que ao lado dos meus filhos, me presentearam com o brilho do olhar dos meus netos, Sofia, Daniel e Ricardinho, três estrelas que vieram para iluminar ainda mais a crença que eu tenho no futuro.

Esta é a minha família. É dela que eu recebo toda a energia que me move, toda a motivação que anima minha caminhada cotidiana.

Mas, senhoras e senhores, eu acredito que as razões que levaram à minha escolha para receber o Seria de Ouro envolvem também a longa trajetória que percorri no movimento associativo empresarial, onde estou há exatos trinta anos, desde 1992, quando comecei a frequentar as reuniões da Federação das Indústrias.

Na FIEC, eu aprendi a real importância da colaboração entre iguais e o verdadeiro significado da solidariedade empreendedora.

Na federação, eu evoluí como industrial, como homem de negócios, e, principalmente, como cidadão comprometido com o bem comum, com o que é de todos.

Em setembro de 2019, quando fui aclamado pelos 40 sindicatos da FIEC como seu décimo primeiro presidente, assumi o compromisso pessoal de cumprir fielmente com a missão de fortalecer a indústria e, por meio dela, incentivar o desenvolvimento sustentável do Ceará.

Não foi fácil chegar até aqui. Nesse percurso de quase três anos, tivemos que vencer os desafios impostos por uma pandemia, que deixou marcas definitivas em nossas vidas.

Porém, com resiliência, ousadia, criatividade, espírito colaborativo e muito trabalho, características típicas do povo cearense e das nossas instituições, conseguimos superar tudo, e sair ainda mais fortes.

E, nesse momento, quero deixar o meu mais sincero agradecimento a toda a classe industrial do Ceará, que sempre se fez presente nos momentos mais críticos.

Agradecer também a toda a Diretoria da FIEC e a cada um dos colaboradores do Sistema FIEC, que lutaram bravamente para superarmos os desafios que enfrentamos.

Em nenhum momento nos aquietamos. Tanto que, diante das questões climáticas e do consequente movimento global pela descarbonização do planeta, nos tornamos protagonistas da transição energética.

O Hub de Hidrogênio Verde, que tão bem formatamos coletivamente, é fruto do espírito de união que nos move, e tem permitido integrar as indústrias, os governos e as instituições acadêmicas, na construção de um novo Ceará.

Hoje, os olhos do mundo inteiro se voltam para o nosso Estado e, com isso, cenários promissores se abrem à nossa frente.

É chegado o momento de darmos um importante e decisivo passo rumo ao futuro.

É hora de saber usufruir das novas oportunidades que se desenham à nossa frente, explorando, com inteligência e sabedoria, os diferenciais competitivos que a natureza nos deu.

Meus amigos Cid Marconi, Darival Bringel e Mino Castelo Branco, o que nos trouxe até aqui foi uma conjunção de fatores.

Mas todos eles estão ligados por um fio imaginário que sintetizo em uma simples e forte palavra: União!

Esse é o espírito que me move desde sempre!

E não tenho dúvida de que esse mesmo espírito move todos nós, cidadãos e cidadãs, que sonham em viver um mundo mais justo, mais humano, fraterno e sustentável.

Portanto, vamos nos manter unidos e agarrar com firmeza as oportunidades que a transição energética mundial traz.

Vamos juntos explorar a força transformadora do sol, a potência dos ventos e a riqueza do mar na geração de novos empregos, capazes de melhorar a qualidade devida de milhões de cearenses, homens, mulheres, crianças e jovens que merecem um futuro mais digno.

Obrigado a todos!

Comentários


Comentários

Para comentários públicos, favor utilizar campo ao final da notícia, logo acima da publicidade.

Notícias mais acessadas do mês

Acidente fatal

"Um acidente envolvendo quatro veículos, entre eles um ônibus que fazia o trajeto São Paulo/Ceará, deixou cinco pessoas mortas na BR-135, em Montes Claros, no norte de Minas Gerais, na noite de ontem. De acordo com agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no município, o ônibus teria perdido o freio na descida e atingido um caminhão bitrem, uma carreta e uma moto, em um trevo da rodovia. Entre as vítimas fatais estão um bebê de nove meses, um passageiro e o motorista reserva, que estavam no ônibus, e o condutor da carreta. Uma pessoa chegou a ser socorrida, mas morreu na Santa Casa de Misericórdia de Montes Claros. A mãe do bebê está entre as vítimas feridas. No ônibus haviam 50 passageiros, e os feridos foram atendidos em hospitais da região. Segundo a PRF, o ônibus tinha autorização de viagem e lista de passageiros. ( Redação O POVO Online com informações do G1).

Após 13 anos, polícia prende envolvido em assalto ao BC de Fortaleza

A Polícia Militar do Distrito Federal prendeu hoje (14) Adelilno Angelim de Sousa Neto, de 36 anos, que participou de um dos maiores assaltos do Brasil: o furto ao Banco Central em Fortaleza, em 2005. Na ocasião, a quadrilha levou aproximadamente R$ 164 milhões do caixa-forte – o equivalente a três toneladas e meia de notas de dinheiro. Após 13 anos, o homem que fugiu do Ceará foi preso a 17 quilômetros do Plano Piloto – área central de Brasília. Adelino foi preso em casa, no Paranoá, bairro a 17 quilômetros do centro de Brasília, onde vivia há 5 anos. O homem, que vinha sendo monitorado pela Secretaria de Segurança Pública do DF, foi levado para o Complexo Penitenciário da Papuda e aguardará audiência de custódia. Não é a primeira vez que o suspeito é preso. Ele chegou a ser detido em Fortaleza, foi solto e depois houve um novo pedido de prisão. O furto ao Banco Central de Fortaleza, ficou conhecido no país como um crime cinematográfico. Segundo as investigações, 11 pessoas p

Ator José Dumont é preso

Informa o jornalista Cláudio Teran : POLÍCIA PRENDE ATOR JOSÉ DUMONT -Cadeia aos 72 anos. Preso em flagrante, nesta quinta-feira (15), ele é acusado de estupro de vulnerável e do grave crime de Pedofilia. Segundo informações da TV UOL, o artista é investigado por manter um relacionamento com um fã de 12 anos. 12 anos de idade! E de guardar vídeos pornôs com crianças em seu celular, fato que a polícia constatou. O FIM DE UMA CARREIRA - Paraibano de Bananeiras, Zé Dumont ganhou fama pelo talento para fazer tipos populares. Atuou em novelas importantes da Televisão, como, "Nos Tempos do Imperador". E foi do elenco da primeira versão de "Pantanal". No filme, "O Homem que Virou Suco", vive um nordestino cuja vida pobre e anônima na construção civil do Sul o torna alguém invisível, como se nem sequer existisse. GLOBO DEMITIU NA HORA -Tão logo o fato veio à público a TV Globo demitiu José Dumont do elenco da novela Todas as Flores, que passa na Globo Play. O FIM

Orgulho Lésbico

 

Morre Rolando Boldrin

Informa o G1: O ator, cantor, compositor e apresentador da TV Cultura Rolando Boldrin morreu nesta quarta-feira aos 86 anos, em São Paulo. A causa da morte não foi informada. Ele estava internado no Hospital Albert Einstein havia 2 meses. O velório será realizado na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. Com mais de 60 anos de carreira na TV, Rolando Boldrin apresentou o programa musical "Sr. Brasil" por 17 anos. "Ele tirou o Brasil da Gaveta' e fez coro com os artistas mais representativos de todas as regiões do país. Em seu programa, o cenário privilegiava os artesãos brasileiros e era circundado por imagens dos artistas que fizeram a nossa história, escrita, falada e cantada, e que já viajaram, muitos deles 'fora do combinado', conforme costumava dizer Rolando", diz nota da TV Cultura. Boldrin também fez carreira na teledramaturgia. Como ator, Rolando atuou em mais de 30 novelas, como “O Direito de Nascer”; “As Pupilas do Senhor Reitor”; “Os D

Postagens mais visitadas deste blog

Acidente fatal

"Um acidente envolvendo quatro veículos, entre eles um ônibus que fazia o trajeto São Paulo/Ceará, deixou cinco pessoas mortas na BR-135, em Montes Claros, no norte de Minas Gerais, na noite de ontem. De acordo com agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no município, o ônibus teria perdido o freio na descida e atingido um caminhão bitrem, uma carreta e uma moto, em um trevo da rodovia. Entre as vítimas fatais estão um bebê de nove meses, um passageiro e o motorista reserva, que estavam no ônibus, e o condutor da carreta. Uma pessoa chegou a ser socorrida, mas morreu na Santa Casa de Misericórdia de Montes Claros. A mãe do bebê está entre as vítimas feridas. No ônibus haviam 50 passageiros, e os feridos foram atendidos em hospitais da região. Segundo a PRF, o ônibus tinha autorização de viagem e lista de passageiros. ( Redação O POVO Online com informações do G1).

Após 13 anos, polícia prende envolvido em assalto ao BC de Fortaleza

A Polícia Militar do Distrito Federal prendeu hoje (14) Adelilno Angelim de Sousa Neto, de 36 anos, que participou de um dos maiores assaltos do Brasil: o furto ao Banco Central em Fortaleza, em 2005. Na ocasião, a quadrilha levou aproximadamente R$ 164 milhões do caixa-forte – o equivalente a três toneladas e meia de notas de dinheiro. Após 13 anos, o homem que fugiu do Ceará foi preso a 17 quilômetros do Plano Piloto – área central de Brasília. Adelino foi preso em casa, no Paranoá, bairro a 17 quilômetros do centro de Brasília, onde vivia há 5 anos. O homem, que vinha sendo monitorado pela Secretaria de Segurança Pública do DF, foi levado para o Complexo Penitenciário da Papuda e aguardará audiência de custódia. Não é a primeira vez que o suspeito é preso. Ele chegou a ser detido em Fortaleza, foi solto e depois houve um novo pedido de prisão. O furto ao Banco Central de Fortaleza, ficou conhecido no país como um crime cinematográfico. Segundo as investigações, 11 pessoas p

Ator José Dumont é preso

Informa o jornalista Cláudio Teran : POLÍCIA PRENDE ATOR JOSÉ DUMONT -Cadeia aos 72 anos. Preso em flagrante, nesta quinta-feira (15), ele é acusado de estupro de vulnerável e do grave crime de Pedofilia. Segundo informações da TV UOL, o artista é investigado por manter um relacionamento com um fã de 12 anos. 12 anos de idade! E de guardar vídeos pornôs com crianças em seu celular, fato que a polícia constatou. O FIM DE UMA CARREIRA - Paraibano de Bananeiras, Zé Dumont ganhou fama pelo talento para fazer tipos populares. Atuou em novelas importantes da Televisão, como, "Nos Tempos do Imperador". E foi do elenco da primeira versão de "Pantanal". No filme, "O Homem que Virou Suco", vive um nordestino cuja vida pobre e anônima na construção civil do Sul o torna alguém invisível, como se nem sequer existisse. GLOBO DEMITIU NA HORA -Tão logo o fato veio à público a TV Globo demitiu José Dumont do elenco da novela Todas as Flores, que passa na Globo Play. O FIM

Orgulho Lésbico

 

Morre Rolando Boldrin

Informa o G1: O ator, cantor, compositor e apresentador da TV Cultura Rolando Boldrin morreu nesta quarta-feira aos 86 anos, em São Paulo. A causa da morte não foi informada. Ele estava internado no Hospital Albert Einstein havia 2 meses. O velório será realizado na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. Com mais de 60 anos de carreira na TV, Rolando Boldrin apresentou o programa musical "Sr. Brasil" por 17 anos. "Ele tirou o Brasil da Gaveta' e fez coro com os artistas mais representativos de todas as regiões do país. Em seu programa, o cenário privilegiava os artesãos brasileiros e era circundado por imagens dos artistas que fizeram a nossa história, escrita, falada e cantada, e que já viajaram, muitos deles 'fora do combinado', conforme costumava dizer Rolando", diz nota da TV Cultura. Boldrin também fez carreira na teledramaturgia. Como ator, Rolando atuou em mais de 30 novelas, como “O Direito de Nascer”; “As Pupilas do Senhor Reitor”; “Os D