Pular para o conteúdo principal

Maior parte da população do Brasil se declara Parda

Em 2022, cerca de 92,1 milhões de pessoas se declararam Pardas, o equivalente a 45,3% da população do País.


Desde 1991, esse contingente não superava a População Branca, que chegou a 88,2 milhões (ou 43,5% da população do País). Outras 20,6 milhões se declaram Pretas (10,2%), enquanto 1,7 milhões se declararam Indígenas (0,8%) e 850,1 mil se declaram Amarelas (0,4%). 

Os dados são do Censo Demográfico 2022: Identificação Étnico-Racial da População, por Sexo e Idade: Resultados do universo, divulgados nesta sexta-feira (22 de dezembro de 2023) pelo Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE).

- O Censo Demográfico é a única pesquisa que nos permite olhar todas as categorias de Cor ou Raça e a sua evolução ao longo das décadas. O censo mostra a diversidade da nossa população", destaca Marta Antunes, coordenadora do Censo de Povos e Comunidades Tradicionais.



Em relação a 2010, a população preta aumentou 42,3% e sua proporção no total da população subiu de 7,6% para 10,2%. A população parda cresceu 11,9% e sua proporção na população do país subiu de 43,1% para 45,3%. Houve, ainda, aumento de 89% da população indígena, com sua participação subindo de 0,5% para 0,8%.

- Desde o Censo Demográfico de 1991, percebe-se mudanças na distribuição percentual por Cor ou Raça da população, com o aumento de declaração por cor ou Raça Parda, Preta e Indígena, decréscimo para a população branca”, explica Leonardo Athias, analista do IBGE.

A participação da população branca recuou de 47,7% em 2010 para 43,5% em 2022. Já a população amarela teve uma forte redução (-59,2%) e sua participação recuou de 1,1% para 0,4%, retornando a patamares de 1991 e 2000.

A diminuição da população amarela está correlacionada a um procedimento adotado no Censo 2022: caso o entrevistado se declarasse ou a algum morador de Cor ou Raça amarela, o recenseador faria uma pergunta adicional padrão: “considera-se como cor ou Raça Amarela a pessoa de origem oriental: japonesa, chinesa, coreana. Você confirma sua escolha?”. Athias acredita que o novo procedimento concorreu para essa “mudança mais drástica" na proporção de pessoas que se declararam amarelas.

As mudanças nos percentuais das categorias de Cor ou Raça têm caráter multidimensional, argumenta Athias. “São vários fatores que explicam essas variações. Podem ser demográficos, de migração, de identificação, de condições de vida, de serviços, entre outras”.

Pardos, brancos e pretos predominam, respectivamente, no Norte, no Sul e no Nordeste

A população parda foi o grupo com maior percentual na população residente da região Norte (67,2%). Também o Nordeste (59,6%) e o Centro-Oeste (52,4%) registraram números acima da média nacional. Já os percentuais do Sul (21,7%) e do Sudeste (38,7%) ficaram abaixo da média.

A Região Sul tinha o maior percentual de população branca (72,6%). No Sudeste, o percentual foi de 49,9%. Nas Regiões Centro-Oeste (37,0%), Nordeste (26,7%) e Norte (20,7%), os percentuais ficaram abaixo da média nacional.

O Nordeste teve o maior percentual de população preta (13,0%), seguido pelo Sudeste (10,6%), Centro-Oeste (9,1%) Norte (8,8%) e pelo Sul (5,0%).

O Sudeste tinha a maior proporção (0,7%) de população amarela. Sul e Centro-Oeste (0,4%, ambas) igualaram a média do país. Nordeste (0,1%) e Norte (0,2%) tinham as menores proporções.

As proporções de população indígena no Norte (4,3%), Nordeste (1,0%) e Centro-Oeste (1,2%) superaram a média nacional. Já o Sudeste (0,1%) e o Sul (0,3%) tinham os menores percentuais.

Pará tinha maior percentual de pardos em sua população (69,9%)
-O Pará tinha a maior proporção de população parda (69,9%), com Amazonas (68,8%) e Maranhão (66,4%) a seguir. Na outra ponta, os três estados com os menores percentuais eram Rio Grande do Sul (14,7%), Santa Catarina (19,2%) e Paraná (30,1%).

Os maiores percentuais de população branca estavam no Rio Grande do Sul (78,4%), Santa Catarina (76,3%) e Paraná (64,6%). Por outro lado, os menores percentuais foram do Amazonas (18,4%), Pará (19,3%) e Bahia (19,6%).

A Bahia (22,4%) tinha a maior proporção de população preta, com Rio de Janeiro (16,2%) e Tocantins (13,2%) a seguir. Os menores percentuais estavam em Santa Catarina (4,1%) Paraná (4,2%) e Amazonas (4,9%).

Os maiores percentuais de população amarela estavam em São Paulo (1,2%), Paraná (0,9%) e Mato Grosso do Sul (0,7%). A maior parte das unidades da Federação tinha menos de 0,2% de pessoas amarelas, com destaque para Rio Grande do Sul e Piauí com (0,07% e 0,09%).

As três UFs com a maior participação de Indígenas foram Roraima (15,4%), Amazonas (12,5%) e Mato Grosso do Sul (4,2%). Por outro lado, as menores proporções foram do Rio de Janeiro e São Paulo, ambas com 0,1% de indígenas.

Em 2022, pardos eram a maioria em 58,3% dos municípios-O Censo 2022 também mostra a categoria de cor ou Raça preponderante para cada município do Brasil. A população parda era maioria em 3.245 municípios, ou 58,3% do total de municípios do país. Mais da metade desses municípios (53,0% ou 1.720) estão no Nordeste.

Minas Gerais tem o maior número de municípios (404) onde os que se declararam pardos superaram 50% da população residente. O ranking se completa com Bahia (385), seguida do Piauí (219), do Maranhão (214) e da Paraíba (202).

O município com maior percentual de pessoas pardas é Boa Vista do Ramos (AM) com 92,7%, seguido de São João da Ponta (PA), com 87,4%, e Tracuateua (PA), também com 87,4% de pardos. Os dez municípios com maior proporção de pessoas pardas estavam no Amazonas, Pará e Maranhão.

Já a população branca era maioria em 2.283 municípios (ou 41% do total), sendo metade destes municípios (ou 1.143) no Sul e 45,7% (ou 1.044) no Sudeste. O Norte não possuía nenhum município com maioria de pessoas brancas na sua população residente.

Os três municípios com as maiores proporções de pessoas brancas foram Morrinhos do Sul (RS), com 97,4%, Forquetinha (RS), com 97,2% e Monte Belo do Sul (RS), com 96,2%.

As pessoas indígenas eram majoritárias em 33 municípios, sendo 18 no Norte (54,5%), cinco no Nordeste e no Centro-Oeste (15,2% cada), quatro no Sul (12,1%) e um no Sudeste (3,0%).



Os três municípios com maior número de indígenas foram Manaus (AM), com 71,6 mil, São Gabriel da Cachoeira (AM), com 48,2 mil e Tabatinga (AM), com 34,4 mil. As maiores proporções foram de Uiramutã (RR), com 96,6%, Santa Isabel do Rio Negro (AM), com 96,2%, e São Gabriel da Cachoeira (AM), com 93,2%.

Em nove municípios, a população preta foi maioria, todos Nordeste, sendo oito na Bahia (Antônio Cardoso, Cachoeira, Conceição da Feira, Ouriçangas, Pedrão, Santo Amaro, São Francisco do Conde e São Gonçalo dos Campos) e um no Maranhão (Serrano do Maranhão).

O município de São Paulo tinha o maior número de pessoas pretas (1,16 milhão), seguido pelo Rio de Janeiro (968 mil) e por Salvador (825 mil). Os municípios com as maiores proporções de pessoas pretas foram em Serrano do Maranhão (MA), com 58,5%, Antônio Cardoso (BA), com 55,1% e Ouriçangas (BA), com 52,8%.

A população amarela não foi maioria em nenhum município e as suas maiores proporções foram de Assaí (PR), com 11,5%, Bastos (SP), com 10,3% e Uraí (PR), com 5,9%. Em 575 municípios do país não havia pessoas que se declararam amarelas.

Indígenas, pretos e pardos ampliam sua participação na população da Amazônia Legal

No recorte territorial da Amazônia Legal, 65,2% (17.373.150) das 26.650.798 pessoas residentes se declararam pardas; 22,3% (5.952.829), brancas; 9,9% (2.625.999), pretas; 3,3% (868.419), indígenas e 0,2% (45.801) se declararam amarelas.

Enquanto a população da Amazônia Legal cresceu 9,3% entre 2010 e 2022, a população indígena na região cresceu 100,7% no período. Já a população preta cresceu 43,3% e a parda, 10,1%.

Grupos de Cor ou Raça mostram diferenças demográficas-De 2010 a 2022, a estrutura demográfica do país mudou, com o envelhecimento da população e o aumento da proporção de mulheres.

Todos os grupos étnico-raciais apresentam um processo de envelhecimento, com diferentes ritmos, que se refletem na sua atual estrutura de sexo e idade. A população branca e a população parda são as que apresentam pirâmides etárias mais próximas da população residente no Brasil, mas com a população branca mais envelhecida e a parda mais jovem.

- Há uma variedade de critérios demográficos e de pertencimento étnico-racial, que podem explicar esse comportamento diferenciado dos grupos populacionais. Ou seja, a gente pode ter mais migração, mais ou menos fecundidade, mais mortalidade... são dados que vamos poder explorar em próximas divulgações. Mas os critérios do pertencimento étnico-racial acionados pela população variam de acordo com o contexto social e de relações interraciais, e de acordo com a forma como as pessoas se percebem”, esclarece Marta.



A pirâmide da população branca tem um padrão de sexo e idade próximo ao da população brasileira com um perfil um pouco mais envelhecido e feminino. Já a pirâmide para a população preta tem uma menor proporção de crianças até 14 anos de idade em comparação com o total da população e uma maior proporção relativa de homens de 20 a 64 anos em relação a mulheres pretas e em relação ao total da população.

Na população amarela, sobressai um perfil de população envelhecida, em formato de losango, potencialmente rumo a uma pirâmide invertida, com muito mais idosos do que jovens, além de uma maior proporção relativa de mulheres idosas ante homens idosos na Cor ou Raça Amarela. A pirâmide da população parda é bem próxima à da população brasileira, o que se explica por ser o conjunto mais numeroso de pessoas, mas apresenta um pouco mais de crianças, jovens e adultos até 34 anos, em comparação com o total.

A pirâmide da população indígena mostra uma base larga com estreitamento progressivo, com maior proporção na população entre 0 e 4 anos de idade e progressiva retração, mais intensa para homens e mulheres de 25 a 29 anos de idade em comparação com o grupo anterior (20 a 24 anos).

Populações preta e parda ganham participação em todos os recortes de idade-Entre 2010 e 2022, por grupos de idade, tanto a população preta, quanto a parda ganharam participação entre as pessoas de todos os recortes. A população indígena tem comportamento semelhante, mantendo participação estável apenas na faixa de 60 a 74 anos de idade. Já a população branca e a amarela mostraram queda em todos os grupos de idade.

Em 2022, havia predomínio da população parda até os 44 anos de idade; a partir dos 45 anos, a população branca mostra o maior percentual. Frente a 2010, a população branca perdeu predomínio na faixa de 30 a 44 anos de idade, que passou a ser da população parda em 2022.

Os maiores percentuais de pessoas pardas estavam entre as pessoas de 0 a 14 anos (49,3%) e 15 a 29 anos (48,7%); já as menores proporções estavam nas faixas entre 60 e 74 anos (38,6%) e acima de 75 anos (33,8%). Para a população branca, o maior percentual foi na faixa dos 75 anos ou mais (55,6%) e o menor no grupo de 15 a 29 anos (39,4%).

Já a população preta mostrou maior proporção na faixa dos 30 aos 44 anos (11,4%) e menor proporção entre as pessoas de 0 a 14 anos (7,3%). Indígenas têm maior percentual entre as pessoas de 0 a 14 anos (1,0%) e menor percentual entre os 60 a 64 anos (0,3%). Os amarelos tiveram maior proporção na faixa de 75 anos ou mais (1,1%) e menor, de 0 a 14 anos (0,2%).

Envelhecimento populacional ocorre em todas as categorias de Cor ou Raça-Os dados do Censo 2022 permitem analisar também o perfil etário de cada categoria. 

- A gente já viu o processo de envelhecimento da população residente, entre 2010 e 2022. Nas populações especificas, esse processo de envelhecimento passa por todos os grupos étnico-raciais, com uma crescente participação dos grupos a partir de 30 anos de idade e uma decrescente participação para os grupos até 29 anos de idade”, observa a coordenadora Marta Antunes.

A população amarela é o grupo populacional com maior participação da população com 60 anos ou mais, com cerca de 29% nessa faixa, e também o grupo com o menor percentual de pessoas de 0 a 14 anos (11,3%).

População preta tem 103,9 homens para cada 100 mulheres
-O Censo 2022 traz ainda os indicadores de idade mediana, índice de envelhecimento e razão de Sexo por Cor ou Raça. No Brasil, a razão de sexo, que sinaliza a proporção de homens em relação ao grupo de 100 mulheres, foi de 94,2 para o total da população, indicando que há mais mulheres do que homens no Brasil.

A população preta apresentou a maior razão de sexo (103,9), sendo a única com maior número de homens do que de mulheres, seguida pela população indígena (97,1), parda (96,4), branca (89,9) e amarela (89,2). Na região Norte, a razão de sexo da população preta chegou a 122,1, a maior. Já a menor razão de sexo foi observada na população amarela da região Nordeste, 73,8.

A Idade mediana é a que separa a metade mais jovem da metade mais velha da população. De 2010 para 2022, idade mediana subiu de 29 anos para 35 anos, evidenciando o envelhecimento da população. A população amarela é de idade mediana mais elevada em 2022, 44 anos, seguida da população branca (37 anos), preta (36 anos), parda (32 anos) e indígena (25 anos), incluindo aqui as pessoas declaradas por meio do quesito “se considera indígena”.

O índice de envelhecimento, representado pelo número de pessoas com 60 anos ou mais em relação a um grupo de 100 pessoas de até 14 anos de idade, foi de 80,0, indicando que, em 2022, havia 80 pessoas de 60 anos ou mais para cada 100 pessoas até 14 anos. Quanto maior o valor do indicador, mais envelhecida é a população.

Em 2022, a população amarela apresentou o índice de envelhecimento mais elevado (256,5), seguida da preta (108,3) e branca (98,0). Os menores índices de envelhecimento foram da população parda (60,6) e indígena (35,6), esta última incluindo o quesito “se considera indígena”. Todos os grupos tiveram aumento no índice de envelhecimento quando comparado a 2010.

Mais sobre a Pesquisa-O Censo Demográfico é a principal fonte de referência sobre as condições de vida da população em todos os municípios do país e em seus recortes territoriais internos. Os resultados do universo da população por identificação étnico-racial, segundo idade e sexo, do Censo Demográfico 2022 apresentam a distribuição da população residente no país segundo grupos etários e sexo, além de alguns indicadores derivados dessas informações, como a idade mediana, o índice de envelhecimento e a razão de sexo, para Brasil, grandes regiões, unidades da Federação, concentrações urbanas e municípios e para o recorte da Amazônia Legal.

Com informações da Agência IBGE de Notícias.

Comentários


Comentários

Para comentários públicos, favor utilizar campo ao final da notícia, logo acima da publicidade.

Notícias mais acessadas do mês

Polícia Federal prende suspeitos de golpes via Aplicativos de Mensagens

A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (17/7), a Operação Swindle (Fraude, em inglês), com objetivo de desarticular grupo que realizava clonagens de números telefônicos para aplicar golpes via Aplicativo de Trocas de Mensagens. Policiais Federais cumprem cinco Mandados de Busca e Apreensão e dois Mandados de Prisão Preventiva no Maranhão e Mato Grosso do Sul expedidos pela Justiça Federal, em Brasília. O grupo abria contas bancárias falsas e utilizava contas "emprestadas” por partícipes para receber valores provenientes das fraudes aplicadas em razão do desvio dos terminais telefônicos, em que os agentes criminosos se “apossavam” das contas de WhatsApp de autoridades públicas e, fazendo-se passar por estas, solicitavam transferências bancárias das pessoas constantes de suas listas de contato. Os investigados responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de de invasão de dispositivo informático, estelionato e associação criminosa, previstos nos artigos 154-A, parágrafo

Juiza nega pedidos de DJ Ivis

O DJ Ivis através de nota de sua assessoria jurídica informa que 'aguarda o curso da investigação e cumpre a decisão de medida protetiva, além de permanecer à disposição da Justiça'. DJ Ivis é acusado de bater na ex-esposa a arquiteta Pamella Holanda. Nesta segunda-feira (12 de julho) a juiz Maria José Sousa Rosado de Alencar negou pedido de Ivis para que fosse removido da Internet o vídeo onde aparece ele batendo em Pamella. A juiz negou também a solicitação para que Pamella fosse proibida de comentar a agressão na imprensa, 'principalmente onde cite a filha menor'. - Ela (Pamella) comunicou a imprensa fatos mentirosos relativos à violência doméstica veiculada em sites de Internet prejudicial a minha reputação", alegava DJ Ivis. - Não verifico no conteúdo divulgado qualquer conduta que ultrapasse o direito de expressão. Em isso, ocorrendo, torna-se impossível analisar o pedido, além de quer a concessão de tal pretensão, nos moldes formulados representaria ao direi

Acidente fatal

"Um acidente envolvendo quatro veículos, entre eles um ônibus que fazia o trajeto São Paulo/Ceará, deixou cinco pessoas mortas na BR-135, em Montes Claros, no norte de Minas Gerais, na noite de ontem. De acordo com agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no município, o ônibus teria perdido o freio na descida e atingido um caminhão bitrem, uma carreta e uma moto, em um trevo da rodovia. Entre as vítimas fatais estão um bebê de nove meses, um passageiro e o motorista reserva, que estavam no ônibus, e o condutor da carreta. Uma pessoa chegou a ser socorrida, mas morreu na Santa Casa de Misericórdia de Montes Claros. A mãe do bebê está entre as vítimas feridas. No ônibus haviam 50 passageiros, e os feridos foram atendidos em hospitais da região. Segundo a PRF, o ônibus tinha autorização de viagem e lista de passageiros. ( Redação O POVO Online com informações do G1).

Futricas Cearenses

Na edição 1448, de 15 a 20 de fevereiro de 2024, do Jornalistas & Cia.

Beto Studart e Fernando Ximenes lançam Campanha Coisas Boas do Brasil

Empresários Beto Studart- @betostudart   e Fernando Ximenes- @fernandoximenes8   lançam pelo Instagram a Campanha 'Coisas Boas do Brasil'. - As Energias Renováveis são Coisas Boas do Brasil, sendo nosso País campeão mundial em Energias Renováveis", destaca a Campanha. Brasil gerou 70.206 megawatts médios de Energia em 2023 a partir das suas Usinas Hidrelétricas, Eólicas, Solares, Biomassa e Biogás esse volume representa 93,1% de toda a Eletricidade produzida em 2023 no Sistema Interligado Nacional de Energia Elétrica (SIN), o maior porcentual do Mundo. Nenhum País do Mundo produz 93,1% de sua carga com Energias Renováveis. Muitos Países tentam chegar a 30%, além das Fontes Eólicas, Hidroelétricas e Solares. As Fontes Energéticas Renováveis do Agronegócio são: Biomassa. Biogás.  Em nenhum País do Mundo, existe tanta potencialidade e ambas têm muita energia e potencial para explorar. - Em pouco tempo, o Brasil terá superavit com Energias através de suas Fontes Renovaveis: B

Postagens mais visitadas deste blog

Polícia Federal prende suspeitos de golpes via Aplicativos de Mensagens

A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (17/7), a Operação Swindle (Fraude, em inglês), com objetivo de desarticular grupo que realizava clonagens de números telefônicos para aplicar golpes via Aplicativo de Trocas de Mensagens. Policiais Federais cumprem cinco Mandados de Busca e Apreensão e dois Mandados de Prisão Preventiva no Maranhão e Mato Grosso do Sul expedidos pela Justiça Federal, em Brasília. O grupo abria contas bancárias falsas e utilizava contas "emprestadas” por partícipes para receber valores provenientes das fraudes aplicadas em razão do desvio dos terminais telefônicos, em que os agentes criminosos se “apossavam” das contas de WhatsApp de autoridades públicas e, fazendo-se passar por estas, solicitavam transferências bancárias das pessoas constantes de suas listas de contato. Os investigados responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de de invasão de dispositivo informático, estelionato e associação criminosa, previstos nos artigos 154-A, parágrafo

Juiza nega pedidos de DJ Ivis

O DJ Ivis através de nota de sua assessoria jurídica informa que 'aguarda o curso da investigação e cumpre a decisão de medida protetiva, além de permanecer à disposição da Justiça'. DJ Ivis é acusado de bater na ex-esposa a arquiteta Pamella Holanda. Nesta segunda-feira (12 de julho) a juiz Maria José Sousa Rosado de Alencar negou pedido de Ivis para que fosse removido da Internet o vídeo onde aparece ele batendo em Pamella. A juiz negou também a solicitação para que Pamella fosse proibida de comentar a agressão na imprensa, 'principalmente onde cite a filha menor'. - Ela (Pamella) comunicou a imprensa fatos mentirosos relativos à violência doméstica veiculada em sites de Internet prejudicial a minha reputação", alegava DJ Ivis. - Não verifico no conteúdo divulgado qualquer conduta que ultrapasse o direito de expressão. Em isso, ocorrendo, torna-se impossível analisar o pedido, além de quer a concessão de tal pretensão, nos moldes formulados representaria ao direi

Acidente fatal

"Um acidente envolvendo quatro veículos, entre eles um ônibus que fazia o trajeto São Paulo/Ceará, deixou cinco pessoas mortas na BR-135, em Montes Claros, no norte de Minas Gerais, na noite de ontem. De acordo com agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no município, o ônibus teria perdido o freio na descida e atingido um caminhão bitrem, uma carreta e uma moto, em um trevo da rodovia. Entre as vítimas fatais estão um bebê de nove meses, um passageiro e o motorista reserva, que estavam no ônibus, e o condutor da carreta. Uma pessoa chegou a ser socorrida, mas morreu na Santa Casa de Misericórdia de Montes Claros. A mãe do bebê está entre as vítimas feridas. No ônibus haviam 50 passageiros, e os feridos foram atendidos em hospitais da região. Segundo a PRF, o ônibus tinha autorização de viagem e lista de passageiros. ( Redação O POVO Online com informações do G1).

Futricas Cearenses

Na edição 1448, de 15 a 20 de fevereiro de 2024, do Jornalistas & Cia.

Beto Studart e Fernando Ximenes lançam Campanha Coisas Boas do Brasil

Empresários Beto Studart- @betostudart   e Fernando Ximenes- @fernandoximenes8   lançam pelo Instagram a Campanha 'Coisas Boas do Brasil'. - As Energias Renováveis são Coisas Boas do Brasil, sendo nosso País campeão mundial em Energias Renováveis", destaca a Campanha. Brasil gerou 70.206 megawatts médios de Energia em 2023 a partir das suas Usinas Hidrelétricas, Eólicas, Solares, Biomassa e Biogás esse volume representa 93,1% de toda a Eletricidade produzida em 2023 no Sistema Interligado Nacional de Energia Elétrica (SIN), o maior porcentual do Mundo. Nenhum País do Mundo produz 93,1% de sua carga com Energias Renováveis. Muitos Países tentam chegar a 30%, além das Fontes Eólicas, Hidroelétricas e Solares. As Fontes Energéticas Renováveis do Agronegócio são: Biomassa. Biogás.  Em nenhum País do Mundo, existe tanta potencialidade e ambas têm muita energia e potencial para explorar. - Em pouco tempo, o Brasil terá superavit com Energias através de suas Fontes Renovaveis: B